jan 17 2008

gostosa loira nua

Categorias: blogosferaSuzana Gutierrez @ 05:11

Buh!

Ou é uma cerveja sem rótulo ou a mais nova estratégia de gerar visitas.

Antes de começar uma advertência: este post não tem intenção nenhuma de ser sério em nenhum aspecto. E nem coerente. Acontece que eu estava debaixo do guarda-sol sem fazer nada e aí pensei que…

Uma das utilidades das estatísticas sobre os acessos num blog é a possibilidade de dar boas risadas com o que aparece nos referrers. As palavras ou expressões usadas em sistemas de busca que terminaram por indicar o seu blog para alguém.

A palavra voyeur que eu escrevi errado (voyer) nesta história, cujos muitos comentários se perderam na tosquice que era o meu blog em 2003*, me rende, até hoje, uma série de inavertidos tarados visitantes. Tarados com pouca fluência em Francês, diga-se.

Algumas técnicas para garantir um incremento no contador de acessos e nos cliques no Ad Sense levam em conta isso e propõem um certo oportunismo lingüístico. Um jeitinho para a sua postagem incluir cartas palavras, uma torcidinha no título deixando ele mais sensual, por exemplo.

Torne seu blog mais popular, propõe mais um guru do blogmarketing. Ganhe dinheiro com o seu blog, engane os robots do Google, espalhe armadilhas virtuais capturando possíveis comsuminautas incautos. E as dicas vão deste fazer os links de seu blog serem auto-referentes (o importante é fazer o leitor passar mil vezes pelos Ad Sense, que geralmente são maiores que o conteúdo). A postagem, tadinha!, vai estar lá num cantinho pouco iluminado.

Daqui a pouco vai aparecer algum serviço de divulgação de postagens por telemarketing. Pelo Skype, é claro.

- Alô mmmm! Com quem eu falo mmm?
- …
Bom dia, senhoooora! Poderia, por favor, estar aguardando um momento mmm?
- …
- Obrigada por aguardar! senhoooora
- Eu gostaria de estar lhe recomendando a leitura de Torne o seu Blog Popular. Para sua comodidade queira estar clicando no link que vai estar aparecendo na janelinha do chat.
- …#£??
- A senhoooora gostaria, também, de estar assinando a nossa dica semanal de postagem por skype?
- ³¢°@# $$$ pqp!!!
- A TelePost agradece a sua gentileza e quer estar lhe desejando um bom dia mmm

Brincadeiras a parte e ressalvada as iniciativas comerciais ou não, que têm como objetivo dar um empurrãozinho na formação das redes e linkar conteúdos bons, é viral (como eles gostam de dizer) a proliferação daqueles que fazem a mercantilização de qualquer conteúdo ou até da ausência de conteúdo.

Você segue as táticas e, se os desafortunados que entrarem no seu blog via alguma armadilha semântica, clicarem em algum link do Ad Sense, bingo!!! Se só voltarem carregados pelos mesmos métodos, isso não é problema.

Assim, para que não pareça que estou contra esta saudável apropriação capitalista do conteúdo, vou dar algumas dicas para aumentar as possibilidades de estarem clicando os seus Ad Sense.

1 – Torne o seu blog pornográfico. Os contadores vão voar e pode esquecer as dicas seguintes.

2 – Aprenda chinês, pois as redes sociais deles estão cada vez maiores. A blogosfera já é maior que a de língua portuguesa. Coloque um forum no seu blog, pois eles adoram foruns e um jeito mais BBS de internet. Além do Ad Sense, se increva no Insenz.

3 – Aprenda japonês, também. A blogosfera japonesa já é maior do mundo.

4 – Para manter a audiência brasileira escreva posts com títulos que sejam uma variação de “loira gostosa nua”. Ou tente o voyer.

Ou não dê bola para estas minhas bobagens :) e vá ler o Robin Good ensinando a roubar dos ricos para dar aos pobres de acesso.

Tags: , , , , ,


jan 05 2008

A aprendizagem em 2008

Categorias: blog,educação,mobilidade,tecnologiaSuzana Gutierrez @ 18:40

What are your Predictions for Learning in 2008?

ou

Quais as suas previsões para a Aprendizagem em 2008?

Para responder esta questão, proposta pelo Learning Circuits, é necessário ter o despreedimento de dizer coisas que, daqui uns meses, poderão levar a tag “bobagens”. Como isso não é nem um pouco incomum na minha vida, vamos lá.

Eu penso que em 2008 continuará a tendência da valorização e do incentivo da aprendizagem nos espaços não formais. É uma tendência que vem se firmando faz tempo e que está conquistando cada vez mais a atenção dos professores, por exemplo.

A aprendizagem online também deverá aumentar, conforme aumenta o uso das tecnologias da informação e da comuicação nas escolas. Sites de redes sociais (Orkut), mensagens instantâneas, blogs, wikis, agregadores e o email serão mais usados por professores e alunos.

Apesar das leis contra o uso dos telefones móveis em sala de aula, penso que a educação começará a perceber as potencialidades destes aparelhos no contexto educativo: comunicação, uso de imagem, documentação, mapeamento e , até, cinema.

Dando força para as previsões anteriores, crescerá a mobilidade com a disseminação das conexões sem fio e o barateamento de hardwares mais móveis (notebooks, pdas, smartphones, …)

Esta foi a questão do mês, proposta por Tony Karrer do Learning Circuits.

Proponho aos meus leitores responder, considerando o contexto brasileiro ou, até, regional. Copiem o logo, postem a resposta e linkem a postagem original do Learning Circuits e esta minha postagem, para criarmos a rede nacional da bola de cristal na educação :)

Me avisem nos comentários deste post que eu linkarei aqui mesmo as respostas:

Tags: , , , , , , , ,


ago 05 2007

Educação, agregadores e ambientes de aprendizagem**

Categorias: blog,ead,educação,pesquisa,tecnologiaSuzana Gutierrez @ 05:19

Comecei a usar agregadores em 2003, na época em que rssficar um blog era ainda artesanal. Usei inicialmente o NewsDesk e, mais tarde, o Sharpreader. Fiquei bons anos no Bloglines e, agora, venho usando o Google Reader, para testar e, também, porque me deu a maior preguiça de ajeitar a miscelânea de links no meu Bloglines.

Hoje, usar um agregador para ler conteúdo na web ainda é algo novo para educadores e para o usuário comum. Mesmo que a agregação/distribuição de conteúdo venha mais nitidamente associada com os navegadores e com os blogs.

Falando nisso, estes dias me dei conta de como, em 2002, fui visionária (eu e alguns poucos no Brasil) ao iniciar a pesquisa sobre os blogs e de como eles previsivelmente explodiram em 2004 e estão se tornando material didático essencial para professores em 2007.

E, também, de como fui paciente ao resistir às críticas veladas (ou não) e a falta de escuta quando apresentei meus primeiros trabalhos sobre blogs e rss. Muitos daqueles e daquelas que com um sorrisinho irônico descartaram sumariamente o que eu estava trazendo, hoje se intitulam blogueiros e não vivem sem um wiki :)

Pois é, para mim os ambientes virtuais de aprendizagem fechados estão com os dias contados. Veremos cada vez mais a distinção entre uma educação online* “emissor-receptor”, aquela onde os professores postam documentos em MSWord contendo “instruções” e os alunos devolvem outros documentos iguais contendo as respostas e uma educação online realmente de rede, onde blogs, wikis e outras páginas dinâmicas se interlikem e criem e recriem uma aprendizagem social, dialógica e colaborativa. Os ambientes fechados permanecerão apenas na medida em que a hegemonia do ensino-mercadoria tiver força e na medida em que os teóricos da ead que nunca viveram a rede decidirem as coisas.

*educação online pode não ser a expressão ideal aqui, mas é conhecida.
** não esperem muita coerência nesta postagem, eu estava pensando alto enquanto dava um novo lugar para o meu antigo bloglab

Tags: , , , , , ,


ago 20 2005

links recomendados de hoje

Categorias: blog,links,software,webSuzana Gutierrez @ 09:29

:: como usar o gmail como leitor de rss >> por karu

:: recursos essenciais para o Google Maps.

:: efeitos especiais e dicas para fazer vídeos.

:: dica da Iris: use o Microsoft Word para publicar diretamente no Blogger – para windows 2000 ou xp, office 2000 + e blogger.com.

:: mais mapas em Flash Earth – google maps + flash


mapas, postada por suzzinha.

:: rastreie os seus visitantes usando o Google Maps >> http://www.gvisit.com/

:: mais mapas, endereços e localizações. Pena que não do Brasil. A9 maps

:: comparar o Goggle com o Yahoo! – University of Illinois at Urbana-Champaign and the National Center for Supercomputing Applications.

:: o que é possível saber sobre o seu computador, conexão, segurança e outras coisinhas >> clique aqui

:: teste seu firewall – por HackerWatchOrg

:: repositório de scripts >> User’s scripts

:: tutorial para fazer botões animados usando flash – Todo Blogs

Technorati Tags: , , , , , , ,

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,


jun 25 2005

garimpado por aí – sobre blogs e arredores

Categorias: blog,blogosfera,colaboração,recursosSuzana Gutierrez @ 14:05

Technorati Tags: , , , ,

Tags: , , , , , , ,


jun 24 2005

blogs e avaliação

Categorias: blog,educaçãoSuzana Gutierrez @ 12:17

m4s0n501

Breves e não revisadas notas.

Refletindo sobre o post da Iris que fala do uso de blogs na avaliação:

É necessário considerar inicialmente a distinção entre blogs como instrumentos de avaliação e blogs como espaço de aprendizagem. Isso não me parece claro no texto dos autores. Eles confundem, também, os objetivos de alunos e professor em relação ao blog.

Pensando no uso de blogs como instrumentos de avaliação:

:: O blog deve dar visibilidade em relação ao cumprimento ou não dos objetivos da disciplina ou curso.

:: A avaliação pode compreender dois espaços diferentes: forma e conteúdo. Considerando que estes não são espaços estanques, ao contrário, se complementam dialeticamente.

:: É bom distinguir se o blog é projeto livre do aluno ourequisito da disciplina/curso. No segundo caso, o planejamento pode ser mais ou menos aberto, porém o uso do blog tem de ser especificado no plano da disciplina/curso.

:: Seria bom trabalhar os objetivos do aluno e da disciplina, naquilo em que eles se aproximam ou se afastam.

:: Blogs como portfolios podem conter recursos relativos a avaliação de diversas disciplinas, mas torna mais difícil o acompanhamento por parte do professor. Por outro lado, favorece o trabalho interdisciplinar e a visão do todo do curso.

:: Avaliar um blog é um processo dialético e não holístico, porque é histórico.

:: O diálogo entre blogs de alunos deve ser incentivado e, até, provocado pelas atividades do curso ou disciplina. Não basta dizer “leiam e comentem os blogs dos colegas”, é necessário estabelecer atividades que provoquem isso. Pequenas tarefas realizadas com regularidade podem ser o detonador da emergência de um comportamento mais dialógico e colaboarativo.

:: Sobre objetivos e critérios de avaliação: acredito que devem ser claros e, se possível, construídos conjuntamente no processo.

:: Quando se trata de avaliação é difícil fugir do padrão de “o professor pergunta e o aluno responde”. Faz parte de uma cultura onde o que se espera do aluno é que devolva ao professor aquela informação que foi nele depositada na aula. Espera-se que o aluno responda aquilo e somente aquilo que foi perguntado. Aliás, esta cultura ainda se encontra bem viva por aí, inclusive, no texto traduzido pela Iris, quando eles falam que o papel do professor é lembrar ao aluno as metas propostas quando houver dispersão.

:: Blogs não devem ser usados como cadernos ou questionários online, onde o aluno recebe conteúdo e devolve respostas, mas como espaço de construção de conhecimento, um espaço que é individual e, ao mesmo tempo, coletivo. Como trabalhar numa perspectiva dialógica que fuja do modelo polarizado emissão-recepção é a grande questão. Uma pista para isso é considerar o aspecto aberto do blog: a possibilidade de todos alterarem tudo, inclusive o próprio ambiente. Assim, os alunos poderiam editar/ampliar/interferir nas atividades propostas pelo professor. Esta forma de trabalho, entretanto, é um processo que leva tempo para construir.

:: Um postulado geral sobre o uso de blogs na educação: é essencial que o professor tenha e use um blog, também.

Technorati Tags: , , , ,

Tags: , , ,


jun 13 2005

Refletindo sobre blogs

Categorias: blog,educaçãoSuzana Gutierrez @ 12:18

A Iris traduziu em parte este post do The Daily Grind. O texto que fala sobre a avaliação de estudantes por meio de seus blogs está no Projetos Colaborativos.

Vale a pena ler o texto original (em inglês), também, principalmente porque traz muitos comentários e links para outros posts. \pretendo fazer isto mais tarde e postar aqui alguma reflexão.

Technorati Tags: , ,

Tags: , , ,


jun 01 2005

Direto do V Ciclo de Palestras do CINTED – terceiro dia

Categorias: blog,ead,eventos,software,tecnologia,tic,ufrgsSuzana Gutierrez @ 19:02

Hoje o dia foi cheio. Começou com a palestra do Dr. José Ottoni Outeiral, às 7h:30min, no CMPA. O tema foi relações afetivas na sala de aula e o principal assunto foi o uso de drogas e a sexualidade. Foi uma boa palestra, embora o contexto apontado como causador dos maiores problemas fique no nível da sociedade atual, sem no entanto abordar o modo de reprodução sócio-metabólico no qual vivemos.

Terminou ali pelas 9h, quando eu tive a felicidade de saber que por atividades diversas não teríamos as aulas de educação física da manhã. Assim, pude me catapultar para a FACED/UFRGS e assistir algumas palestras, além de me preparar para a minha apresentação, que estava marcada para as 14h.

Ontem, não pude participar como queria e thoje tomei poucas notas. As anotações de hoje:

>> A concepção do aluno sobre a própria aprendizagem ao utilizar ambientes virtuais – Alexandra Lorandi Macedo – PPGEDU/UFRGS
Peguei a apresentação no fim e foi uma pena, pois esperava poder assistir este trabalho. Foi mais um daqueles que abordaram as eternas dificuldades em se fazer funcionar a interação online. Na pesquisa que realizaram constataram que os alunos da graduação interagem e participam mais que os do pós-graduação. << Alguma coisa sobre isso eu falo na minha dissertação, também.

>> Processo de Desenvolvimento de Software Educacional: proposta e experimentação Everton FlávioUNIVALI – Itajaí/SC
Relato do processo de criação de um software educacional para o ensino fundamental, o Softvali. Desenvolvido na UNIVALI para o projeto Escolas sem Fronteiras de Blumenau, Santa Catarina.
O software, desenvolvido iterativamente por uma equipe multidisciplinar, é um ambiente lúdico onde o aluno pode visitar um museu, fazer compras num supermercado, ir ao cinema, etc. Nestas atividades estão incluidas: matemática, artes, alfabetização, educação ambiental. A novidade é que o software é configurável, suportando acréscimos e modificações. O de sempre é que foi feito para Windows, por este ser o sistema operacional usado nos laboratórios das escolas de Blumenau. [mais infos]

>> Videoconferência: Adaptação de Interfaces em Ambientes Virtuais de Aprendizagem com Foco na Construção Dinâmica de Comunidades
Paulo Sérgio Rodrigues Lima – Engenharia Elétrica /UFPA
Desenvolvimento de ambientes mais flexíveis e interativos. O ambiente, AmAm, que está sendo construído na UFPA tem uma aparência definitivamente orkutiana.
Traições da tecnologia: o palestrante começou sua apresentação aparecendo de cabeça para baixo na tela. Eu já estava pensando que ele era parente do vovô da família Adams (AmAm…), quando alguém caridosamente resolveu avisar.

>> Weblogs e educação: contribuição para a construção de uma teoria – Suzana Gutierrez – CMPA ; TRAMSE/UFRGS
Foi uma apresentação calma, até porque eu estou semi asmática faz uma semana. Sempre que me empolgava, começava a tossir e tinha de parar para tomar água. Não fiquei nervosa, mas com estes acessos até parecia. Larguei no final aquele desafio/brincadeira de postarem no Vamos Blogar? utilizando o e-mail e enviando imagens. Como eu previa, foi surpresa para a maioria. O legal é que continuaram postando após a minha apresentação.

>> Fatores Relevantes à Formação e manutenção de comunidades virtuais facilitadoras da Aprendizagem – Daniela Haetinger – ESPIE/CINTED
Uma pesquisa realizada com professores especialistas em tecnologias na educação sobre as formas de interação mais usadas e sua importância na formação de comunidades virtuais e na aprendizagem. Abordou, também, os diferentes fatores que contribuem para aformação e para a manutenção das comunidades.
Nota: um dos tipos de interação/uso da tecnologia que teve índice mais baixo em relevância para a aprendizagem foi a transmissão de arquivos de áudio. Logo agora em que os podcasts começam a se firmar como alternativa. Nota 2: entendi que o grupo não conhecia o podcasting.

>> Estratégias de interação entre tutor e estudantes em Educação a DistânciaQuerte Mehlecke – PPGIE/UFRGS
Relato de uma pesquisa sobre EAD (fase 1) realizada em Portugal. A pesquisadora contou que se surpreendeu com o nível baixo de desenvolvimento da EAD na Europa. As alternativas ainda muito usadas se baseiam e material escrito, correio e telefone. [mais]

Depois desta apresentação, desci, tomei um café com meu colega Dileno, que chegou sei lá de onde para sua defesa de tese no dia 15. E debandei porque o cansaço venceu.

Technorati Tags: , , , , , , , ,

Tags: , , , , , , , , , , ,