mar 01 2010

reações na web – Serra x Dilma

Categorias: midias,política,tecnologia,ticSuzana Gutierrez @ 01:05

Segundo o ReadWriteWeb Brasil, o UberVu, que é um serviço de monitoramento de referências nas mídias sociais, lançou uma novidade: o Compare. Além de mapear as referências ao assunto solicitado, permite comparar com as referências a outro assunto.  Interessante.

Para testar, usei dois assuntos que serão referência durante este ano e vejam os resultados (clique para aumentar):

serra x dilma

compare as referências à Serra e Dilma

serra x dilma

resultados em diversas midias

/continuação:
O serviço é pago para informações e relatórios mais detalhados. Uma avaliação das referências positivas e negativas está entre as opções pagas. Isso começaria a qualificar um pouco os resultados.
Dados quantitativos são apenas uma parte do que se pode verificar sobre um determinado fenômeno ou assunto. Dizem alguma coisa sobre o contexto onde se inserem, porém, um maior conhecimento deste contexto aliado a outros dados qualitativos é que vão aproximar os resultados da realidade.
E mais:
-termos de pesquisa ambíguos ou que são comuns a mais de um assunto vão alterar ou inviabilizar algumas pesquisas.
-os resultados majoritariamente são do Twitter em relação à outros meios. (explicável, quem arrisca?)

Mesmo considerando estas limitações, é uma ferramenta interessante para verificar a temperatura de algum assunto em determinado momento.

Tags: , ,


set 28 2009

o consumo das midias pelos adolescentes

Categorias: educação física,esporte,internet,midias,ticSuzana Gutierrez @ 12:36

Estive passando os olhos sobre o Nielsen Report: How teens use media.  O uso fica mais perto de consumo, pois tem a ver com critérios quantitativos no uso de midias diversas. Assim, não espere saber como os adolescentes usam o email, mas quanto eles usam.

Me chamou a atenção as quantidades de uso da internet:

tempo médio na internet e aplicativos

tempo médio na internet e aplicativos

Gráfico 1

Destaque para o tempo de conexão dos adolescentes brasileiros, quase o dobro dos demais países.  Dá uma média de aproximadamente 1h:30min diárias. Venho observando que o tempo de permanência online é cada vez maior. Meus alunos, de um modo geral, estão ativos no MSN e \ou Orkut à partir das 14h. Minha observação (não sistemática) e o contato que tenho com eles me informa que o tempo online fica por volta de duas horas ou até mais, em média.

Gráfico 2

Além de quanto, os gráficos mostram onde o tempo é despendido. No segundo gráfico, este ‘onde’ está caracterizado segundo o país.  Os resultados, em relação ao Brasil, são coerentes com o que observo em meus alunos.  E, para a maioria dos países os sites mais acessados são os mesmos  Google\ MSN \ Youtube. Pensando em outros relatórios já apresentados, achei falta do Twitter e Facebook, especialmente o último. Porém, isso pode ser creditado à idade dos pesquisados: 12 a 17. Será?

É interessante observar as relações dos jovens com as midias, mesmo de forma informal como eu faço. Nota-se uma mudança que vem transformando o “brincar” das crianças, num movimento em que a atividade física e as manifestações culturais vão cedendo espaço para atividades nas quais aparatos eletro-eletrônicos-informaticos-… são centrais.

Há não muito tempo atrás, quando levava meus alunos numa competição, os intervalos entre os jogos eram preenchidos com conversa, brincadeiras físicas diversas, bate-bola. Posteriormente, foi a vez dos jogos tipo Truco, RPG, “baralhos e avatares” que, em seguida, começaram a dividir o espaço com os mp3 diversos. Atualmente, são os games e os smartphones cada vez mais sofisticados, isso que a maioria dos meus alunos não pertence a classes AB.

As atividades estão cada vez mais se individualizando. Junto com esta metamorfose do lazer, vem um aumento enorme na obesidade e sobrepeso infantil, nas dificuldades motoras: crianças que correm mal, que não conseguem transpor um muro, que não conseguem pular corda, nem arremessar e receber uma bola com naturalidade.

E, a grande contradição: por um lado, o desenvolvimento físico progressivo proporcionado pelo brincar e pelo esporte é abandonado, por outro lado, os corpos são mandados formatar nas academias perto do final da adolescência ou até antes.

Estas observações não são sistemáticas e nem se apoiam em nenhum protocolo\projeto de pesquisa. Todavia, em especial em relação às crianças e adolescentes, é essencial acompanhar (pesquisar) de forma crítica e cuidadosa estas transformações.

Tags: , ,


set 27 2009

observações sobre o Twitter

Categorias: brincadeira!,comunicação,midiasSuzana Gutierrez @ 13:26

Vou começar avisando que esta entrada não se enquadra em classificações como “pesquisa”, por exemplo. Trata sobre percepções, intuições, fruições e algum divertimento 👿

Não acompanho regularmente o twitter, dou uma olhada de vez em quando e twitto mais de vez em quando ainda. Porém, em certas ocasiões, percebi uma reação minha que combina a informação twittada por alguém com o seu avatar\foto no twitter. Explicando…, aquela imagem que acompanha cada emissão, aliada ao tipo de emissão que cada usuário costuma fazer, influencia a minha percepção e a minha compreensão sobre a mensagem.

O tipo de imagem (foto, avatar, símbolo ou logo, …), a posição da imagem (virada para o texto ou outras tantas posições possíveis), o foco, a proximidade, a expressão (no caso de fotos), … todas estas coisas conferem à mensagem uma diferença\consistência\coerência\gênero\… de sentido.

Fotos e avatares virados para o texto, com o olhar direto para o texto conferem objetividade. Se o olhar se dirige para o alto, alguma abstração, reflexividade, utopia, até. Se olha para baixo, a informação certamente é confidencial ou para poucos. Por aí vai 🙂  A imagem me faz esperar um certo tipo de mensagem e certamente dá um tom para aquelas que poderiam, não fosse a imagem, ter um outro colorido.

E, para brincar um pouco,  eles não parecem dizer:

anabee: eu estava passando e…
alemos: Pensem comigo…
christofoletti: Hum, … por outro lado…
dasilva: Não tenho certeza, mas…
douglas: Não querendo espalhar, mas me contaram…
ericmessa: Em primeira mão, …
hd: antes de qualquer coisa, hackeem…
inagaki: uma opção pode ser…
lucia: certo que estou pensando bem mais do que estou dizendo…
mattar: anotem aí: 1)….
markun: vou explicar de novo …
perret: é bom vcs conferirem, mas…
profphatima: já estou saindo, mas …
profmichel: acreditem se quiserem …
profteresa: queridos alunos ….
slomp: não acredito muito nisso aqui, mas vamos lá …
stallman: bem aventurados aqueles …
suzzinha: o que eu estava dizendo mesmo?

o que não se faz para procrastinar num domingo de chuva ….

entrada updateada 🙂

Tags: ,


set 22 2009

Dia sem carro ou dia sem midia?

Categorias: Brasil,midias,mundoSuzana Gutierrez @ 12:14

Enquanto os manifestantes Classe Média estão gastando (só um pouquinho e só hoje) a sola dos seus Nike para sair de casa, estamos vivendo um dia sem informação ou, pior…, o dia da informação manipulada.

A coisa está pegando fogo em Honduras, a embaixada brasileira sitiada e NADA nas nossas TVs. Minto, …. enquanto estou escrevendo estas linhas, a GloboNews está discutindo se o asilo de Zelaya foi feito da forma tradicional ou não… A recomendação é que Zelaya saia do país de novo para entrar ‘direito’ 😀

Mas, para quem quiser ver ao vivo, temos a Telesur:

http://www.telesurtv.net/noticias/canal/senalenvivo.php#

Outro canal é #honduras via Identi.ca\Twitter

Tags: , ,


abr 26 2009

Manifesto sobre as Mídias Locativas

Categorias: mapas,midias,mobilidadeSuzana Gutierrez @ 13:42

O espaço e o tempo é o modo de ser da história. As marcas nos lugares nem sempre são para informar, mas para convencer. Atualmente, quase sempre contam a história das possibilidades e das vantagens do mundo das mercadorias.

Um mapa fixa, num determinado momento, o movimento da realidade. Ele mesmo não é o lugar, mas o seu movimento representado. Assim, é individual, irreproduzível, transcende o desenho e as coordenadas.

Os mapas distorcem o que representam para poder representar. Os mapas mostram e ao mesmo tempo escondem. Nas redes, a conexão e a desconexão criam e destroem caminhos, alteram os mapas.

texturas 6

As mídias locativas propõem dimensões surpreendentes para a localização e, sobretudo, para a orientação. André Lemos sintetiza, em forma de manifesto, os desafios da mobilidade.

“Construa mapas que desconstruam visões de mundo. Produza mapas do que não é mapeado em seu entorno, do que é invisível aos olhos bem abertos. Escape do cartesianismo, do racionalismo e das coordenadas geoespaciais. Tente usar as mídias locativas para descentralizar o poder de construção de mapas e de sentido sobre os lugares.”André Lemos

em

Manifesto sobre as Mídias Locativas

Tags: , ,


jan 29 2009

# dulcora (*)

Categorias: livros,midias,pesquisa,webSuzana Gutierrez @ 14:00

# A tecnologia está produzindo um declínio no pensamento crítico e analítico? – Ao mesmo tempo em que tecnologia vem desempenhando um papel cada vez maior em nossas vidas, nossa habilidade em análisar e pensar criticamente vem declinando, enquanto nossas habilidades visuais aumentam – pesquisa de Patricia Greenfield, UCLA pesquisadora e diretora do Children’s Digital Media Center, Los Angeles. (na Science Daily)

# 15 livros relacionados as midias sociais >> Nos próximos posts, começarei publicar breves comentários a respeito de 15 obras recentes sobre novas mídias ou ligadas as novas mídias que de múltiplas perspectivas (muitas vezes opostas e contraditórias) demonstram tendências, reflexões e percepções em que podemos perceber oportunidades e aspectos benéficos e ao mesmo tempo armadilhas e perigos. Em minha análise se configura a emergência de um cenário ambíguo, permeado de contradições. Para acompanhar no Cibercrítica.

# FSM: alternativas ao projeto do Sen. Azeredo – Ocorreu aqui no Fórum Social Mundial uma oficina sobre as alternativas ao PL do Senador Azeredo que trata dos crimes na Internet. por Sérgio Amadeu

# Digital UtopiaO’Reilly: Web 2.0, he says, is about business. (He says many tech movements start out with similar idealism, only to give way to capitalism. For instance, O’Reilly says, Napster introduced file sharing, but now iTunes has people comfortable with paying for music online.) Isso e algumas outras referências interessantes.

* #dulcora

Tags: , , , , , , ,



nov 20 2008

Estudo demonstra que passar tempo online é bom para desenvolvimento dos jovens

Categorias: educação,internet,midias,pesquisa,redes sociaisSuzana Gutierrez @ 09:06

Um novo estudo da MacArthur Foundation, que pretende ser um dos mais completos sobre os hábitos dos adolescentes online, revela que o tempo que os adolescentes despendem conectados à internet, interagindo em redes sociais, navegando e jogando é importante para o desenvolvimento de qualidades que serão necessárias para viver e ter sucesso hoje e no futuro.

Misuko Ito, pesquisadora da Universidade da Califórnia, Irvine conta que os resultados da pesquisa podem surpreender os pais e derrubar alguns mitos. “Perder” tempo online não é perigoso e não cria preguiçosos e sedentários. Ao contrário, é essencial para que os jovens desenvolvam as habilidades técnicas e sociais necessárias para serem cidadãos competentes na era digital.

A notícia na MacArthur Foundation saiu na primeira página do New Yort Times: Teenager’ Internet Socializing Not a Bad Thing

A pesquisa, liderada por Mizuko Ito, Peter Lyman e Michael Carter, contou com mais de 28 pesquisadores. Durante 3 anos a equipe entrevistou 800 jovens e suas famílias e passou mais de 5000 horas observando adolescentes em sites como o MySpace, Youtube, Facebook.

Entre os achados de pesquisa: os ambientes online oferecem aos adolescentes excelentes oportunidades de desenvolvimento da sociabilidade, de participação na vida pública. Motivam a aprender com o outro e em rede. Por outro lado, os jovens precisam dar conta desta sua presença online e dos desafios de manejar a visibilidade, a identidade e as relações sociais no ciberespaço.

Mais detalhes: New Study Shows Time Spent Online Important for Teen Development e em digitallearning.macfound.org.

update:
relatório no site do Digital Youth Project
post da danah boyd
mais no Boing Boing

update 2:
ainda não li os relatórios de pesquisa.

Tags: , , , , , , , , ,


nov 18 2008

Gengibre – post “de voz”

Categorias: midias,tecnologiaSuzana Gutierrez @ 16:40

Uma mistura de twitter em áudio com ‘blog de voz’ é o Gengibre. Vinculado à Claro, faz parte das brincadeiras da operadora para gastarmos mais.

Li sobre o Gengibre no blog do Sérgio Lima, que o chama de micro-podcast e o investigou bem melhor do que eu. Em resumo, é um site que armazena mensagens de voz gravadas via telefone móvel. Tem uma estrutura semelhante ao Twitter: você se cadastra, grava as suas mensagens e pode “seguir e ser seguida”. Só que a mensagem custa uma ligação local de celular para celular.

Vi uma utilidade imediata: personalizar algum aviso ou explicação. Nada como dar um tom especial em alguma ord, digo, recado para meus atletas do basquete. ((Dá para ‘embebedar’ no blog))

Aliás, foi o que timidamente eu fiz, só para testar o gengibre.

Saiba mais e melhor lendo as postagens do Sérgio:

mais sobre o Gengibre
espremendo o Gengibre (<< bah, este título não cai bem aqui no sul) * não achei nenhuma explicação no site sobre armazenamento e arquivos.

Tags: , , , , ,


nov 13 2008

Contra o projeto de lei do Senador Azeredo

Categorias: cibercultura,internet,midias,políticaSuzana Gutierrez @ 12:40

Atravessa a rede a chamada para uma flashmob (mobilização instantânea) amanhã, sexta-feira, dia 14/11/08 às 18h, na calçada central da Av. Paulista, 900, São Paulo.

Embora a antecedência do aviso e o ativismo do encontro não sejam uma característica de flashmob*, vale o protesto com todas as suas justas razões.

A idéia é que todos permaneçam no canteiro central da avenida, exatamente às 18h, portando algum cartaz que expresse Não ao PL Azeredo.

A audiência pública foi hoje, twitada a todo vapor e com excelente participação do Sérgio Amadeu que, no meu entender, tocou na tecla mais sensível de nossos queridos parlamentares: o medo de bancar o ridículo aprovando um projeto ridículo.

Como estou um tanto longe da avenida Paulista e não sei se haverá algum esporinho da mobilização aqui em POA, minha participação é divulgar.

****************************************************

* flashmob é um evento de curta duração e de mobilização instantânea, geralmente convocado por meio das tecnologias da informação e da comunicação. Tem objetivos mais performáticos que de protesto. Uma smartmob é um evento semelhante, porém a articulação se dá emtorno de temas de interesse social ou de grupos.

** saiba mais sobre tudo isso:

Tags: , , , , ,


set 24 2008

50 maiores blogs sobre Midias Sociais

Categorias: blog,cibercultura,midiasSuzana Gutierrez @ 13:54

Uma lista feita por categorias e usando ferramentas como technorati, alexa, rss, etc. Todos em nem tão plain english, mas quase todos conhecidos. (principalmente dos startups addicts)

Encontrei o SmartMobs lá. A correria dos dois últimos anos não me deixou tempo para postar muito por lá. Vi hoje que a minha última publicação foi em fevereiro…

Smart Mobs
URL: http://www.smartmobs.com

Smart mobs emerge when communication and computing technologies amplify human talents for cooperation. Howard Rheingold, author of Smar Mobs, is one of the world’s foremost authorities on the social implications of technology. Over the past twenty years he has traveled around the world, observing and writing about emerging trends in computing, communications, and culture.

A lista completa está no blog do Evan Carmichael, ao lado do comercial do livro “Fazendo seu primeiro milhão”. O que indica o tom majoritário dos blogs.

Tags: , , ,


abr 10 2008

educação e blogs

Categorias: educação,midiasSuzana Gutierrez @ 16:51

Tags: , , , , , ,


mar 08 2008

Midias Sociais e Educação

Categorias: educação,midiasSuzana Gutierrez @ 08:17

É inegável o poder apaixonante que têm blogs, wikis, sites de redes sociais, e toda a diversidade de aplicativos chamados sociais, sobre o imaginário dos professores. Mal conhecemos o aplicativo que constroi uma apresentação de slides, por exemplo, e já imaginamos toda uma série de práticas e de possibilidades que seguiriam o seu uso na educação.

Porém, o que na maioria das vezes acontece é que relacionamos estas possibilidades com aquilo que já conhecemos e com as nossas práticas na sala de aula. Isto é normal, pois é sempre de algum lugar existente que avaliamos o novo.

Como a maioria de nós ainda trabalha dentro de uma estrutura de funcionamento da escola, que não se modifica muito faz um bom tempo, estas nossas novas práticas, deixam de antemão este aspecto de novidade, pois se inserem em processos que já existem, sem alterar de forma significativa o processo.

Isso acontece, por exemplo, quando colocamos aquela aula, que seria falada e escrita no quadro de giz, numa apresentação de slides animados e com som sincronizado. O único diferencial talvez seja na produção visual, pois o processo continua sendo expositivo e sem possibilidades de interação.

O mesmo se dá quando usamos com os alunos outros suportes para os seus trabalhos. Entregar num CD um trabalho escrito é quase o mesmo que entregar a versão escrita e impressa do trabalho. Colar num blog um texto digitado num editor de texto, só difere de entregar o texto escrito ao professor, pelo aspecto público e aberto à comentários de um blog (aqui já temos algumas diferenças um pouco mais consistentes).

Assim, além de por à disposição as possibilidades que a midia social oferece de interação, compartilhamento, diálogo, intertextualidade etc., o uso de midias sociais deveria vir atrelado a uma proposta educacional que problematizasse o próprio uso da midia. E que, pelos seus procedimentos, garantisse aquilo que está apenas como possibilidade: a interação, a intertualidade, a polifonia, o diálogo, …

E é nesta mediação que reside a função do professor no processo.

Fazer vídeos, podcasts, hipertextos, construir blogs, publicar em wikis, compartilhar links, participar de redes sociais são coisas fáceis de aprender e de usar. E o nosso aluno rapidamente aprende. Fazer com que o produto deste uso de midias sociais seja relevante para a formação do aluno é o mais difícil. Fazer com que o uso das midias sociais seja um fator de enriquecimento da aprendizagem de alunos e professores e consequentemente, da formação destes alunos e professores, é onde reside a tarefa de todos que não só fazem, mas refletem sobre a sua ação.

Estas são umas idéias iniciais para reflexão. Na seqüência poderíamos começar a pensar na crítica do formato e das funcionalidades de cada uma destas mídias. Do que elas possibilitam, mas ao mesmo tempo formatam, por exemplo. Mas, isso é assunto para outra postagem.

Tags: , ,


jul 26 2005

Telesur – já começa o boicote

Categorias: midias,movimentos sociaisSuzana Gutierrez @ 13:53

Os donos da midia já começam a tentar calar a voz da diversidade:

Câmara dos Representantes dos EUA aprovou medida para enviar “sons e imagens especiais” à Venezuela, com o objetivo de “neutralizar” novo canal. No Brasil, TV Educativa do Paraná já transmite parte da programação. A justificativa foi a necessidade de contrapor o “anti-americanismo” do novo canal. … na Agência Carta Maior

Technorati Tags: , , , ,

Tags: , , , ,


jul 24 2005

urgente e histórico ……………… telesur

Categorias: midias,movimentos sociaisSuzana Gutierrez @ 11:25

Pessoal, post urgente
Hoje é aniversário de Simon Bolívar e a rede Telesur está a mil!
Enfim achei o canal da NET brasileira – canal 59.
Chaves acaba de falar e as apresentações continuam. Presentes representantes sociais da América Latina e Caribe, inclusive Danny Glover.

Nosso Norte é o Sul!

depois eu posto :)) Vou assistir!

update: sobre a Telesur, dica da Elenara.
Technorati Tags: , , , ,

Tags: , , , ,


Próxima Página »