fev 20 2010

Google Buzz

Categorias: software,tecnologiaSuzana Gutierrez @ 10:05

Neste últimos dias, duas coisas me entusiasmaram. A incrível comissão de frente do Unidos da Tijuca e o Google Buzz.  A primeira eu vou revisitar hoje à noite.  A segunda, venho usando desde o início e acompanhando toda a conversa que gerou nas redes.

Não vou falar muito das questões relativas ao lançamento e dos problemas iniciais com a privacidade, já bastante discutidos.  Aqui alguns artigos que recomendo sobre o Google Buzz:

)) Sobre histeria, privacidade, Buzz e etc – Sergio Lima

)) Redes Sociais e o Google Buzz – Raquel Recuero

)) Google Buzz é o “Facebook Beacon” da Google – Tiago Dória

)) Google Buzz copied FriendFeed’s worst features, why? – Robert Scoble

A ideia é, a la web 2.0, fazer generosamente um pouco do trabalho de uma equipe de testes e  listar algumas constatações pessoais sobre os primeiros dias de uso, inclusive algumas recomendaçõs sobre o aperfeiçoamento.   Inclusive para motivar os usuários a um bom uso, enquanto alguns melhoramentos não são implementados.  Para começar, gostei bastante do Google Buzz, principalmente pela organização das conversas ea possibilidade de amplitude. Vamos lá :)

)) o que eu gostei:

  • Integração com o Gmail – acessível, simples, em tempo real
  • Agil para comunicações rápidas, mas não limitado a 140 caracteres \o/
  • Possibilidade de compartilhamento público ou dirigido a pessoas e grupos organizados de contatos.
  • Facilidade de interação nos próprios textos e nos de ‘seguidos’. (comentários)
  • Possibilidade de expansão da rede de contatos a partir da interação nos artigos postados por ‘seguidos’
  • Cada Buzz tem um link permanente, com uma página dedicada, distribuída por RSS, com todos os comentários organizados. Todos os buzzes ficam organizados em forma cronológica reversa na página do perfil do usuário e esta página permite comentários e tem distribuição por RSS.  (alguém aí pensou blogue?)

)) o que eu não gostei

  • Na medida em que as pessoas adicionam automaticamente outras redes e aplicativos (Twitter, Flickr, Blog, FriendFeed, …), alguma delas altamente ‘tagarelas’, falta de um mecanismo que possibilite escolher quais as redes dos ‘seguidos’  que serão seguidas.  Eu gostaria de bloquear o Twitter, o FriendFeed da grande maioria dos meus seguidos, pois o que eles divulgam de interesse, geralmente já recebi pelo Google Reader. Além disso, o FriendFeed de muitos repete o Twitter e o blog.
  • Sicronização de contatos ‘seguidos’ com o Google Reader – atualmente, deixando de seguir alguém no Buzz, este contato é retirado da lista de compartilhamento do Reader e vice-versa. Como a Raquel aponta em seu texto (acima) e como alguns colegas e eu buzzamos aqui,  as redes são diferentes. Novamente, poder escolher os aplicativos dos nossos ‘seguidos’ é importante.
  • Embora os buzzes próprios fiquem organizados e buscáveis, seria interessante ter um sistema de arquivos, que poderia ficar no perfil.
  • O sistema de leitura poderia ser aperfeiçoado. O uso da tecla n para navegar entre as novidades é meio confuso.
  • O editor poderia permitir a edição em html ou  ampliar as marcações estilo wiki ou ter algumas ferramentas bem básicas de edição.
  • Falta um botãozinho de rebuzz (mas só depois de acertarem a redundância)
  • O envio por email a partir do Buzz para o Buzz, que poderia ser um provisório rebuzz, não funciona. Aliás, o buzz por email não manda o corpo da mensagem.

Como já disse,  eu gostei bastante do Google Buzz e penso que o Google vai fazer modificações em outros aplicativos (Reader, Chat, Igoogle) por conta dele. Vai valorizar o perfil google que já está ficando com cara de ambiente personalizado de aprendizagem.  Uma preocupação que fica é a concentração de tudo numa só plataforma gerenciada por uma empresa privada.

(em construção, mas já no olho do povo)

Tags: , ,

5 Respostas para “Google Buzz”

  1. J. F. Mitre says:

    A única coisa que eu não concordo é : “O editor poderia permitir a edição em html ou ampliar as marcações estilo wiki ou ter algumas ferramentas bem básicas de edição.”

    Acho completamente desnecessário ! Embora, uma forma de fazer links com nomes simpáticos ao invés de ter que escrever a url completa, seja interessante (necessário é forte, mesmo para isso !)

    Abraços

  2. Sérgio Lima says:

    Opa Su,

    Vamos ver quais serão as melhorias que a Google vai implementar. Tomara que o controle fino do que queremos receber de um seguido seja um dos primeiros a ser implementado.

    abs

  3. Suzana Gutierrez says:

    Oi guris!

    Mitre, realmente necessário é forte, mas seria legal poder ter umas ferramentinhas de edição se não carregasse demais a interface. No “note in Reader” é possível editar e usar html. Achei bem legal isso.
    Sérgio, tomara que venha logo, mesmo.
    abraços!

  4. J. F. Mitre says:

    Não sei se me expressei bem.

    Meu medo é que isso evolua para coisas completamente indesejáveis (por mim, pelo menos) como aqueles bonequinhos que existem no orkut e por ai vai. O problema de permitir a adição/edição do HTML é que isso normalmente não tem limites que não possam ser contornados e pode levar a propagação de javascript malicioso, páginas com figuras de 10 MB totalmente desnecessárias, ou imagine o camarada colocando frames dentro da ‘nota’ ou inserindo códigos de CSS indesejáveis e etc, etc, etc.

    Como diria o “Tio Ben”, “com grandes poderes vem grandes responsabilidades”.

  5. Suzana Gutierrez says:

    :) entendo, Mitre :) e tu tens razão nestas possíveis sequelas que tu apontas. :)) bj Suzana

Entre na conversa