nov 27 2009

links como relações sociais

Categorias: blog,links,redes sociaisSuzana Gutierrez @ 11:08

Um link é uma passagem para uma outra dimensão do texto, do contexto, da opinião, da relação. Pode ser uma mão estendida e pode ser um dedo acusador. Pode ser uma referência, também, uma lembrança de caminhos onde a relação permanece como possibilidade.

Na minha pesquisa os links são importantes e reveladores, pois marcam, descrevem sem fixar o fluxo das relações. As ligações das listas de links (blogroll) apresentadas nos blogues  são recomendações e marcas de identidade. Eu gosto, eu leio, eu recomendo, eu estou ligado(a) à… Acompanhados do feed, avalizam e reforçam a recomendação: eu leio e publico, assino embaixo.

Os links no meio do texto propõem diálogo,  concordam, discordam, indicam, esclarecem, ampliam o alcance do texto (hipertexto). Abrem a possibilidade para novos sujeitos no diálogo.  Pelos motores de busca e pelos trackbacks e outros suportes de retorno, praticamente arrastam leitores e outros textos para o texto.  São parte da formação da rede, uma parte que dá contornos a rede, um aparente formato, que, analisado em profundidade, revela muito sobre a rede.

Links indiretos por meio de trackbacks (ligação de retorno e referência), de acessos via buscadores, de comentários são outras possibilidades de ligação.  Os comentários, além de trazerem liks,  são, eles mesmos,  links gerados pelo leitor que intervém no texto concordando, discordando, esclarecendo, propondo, também.

Analisar as relações sociais entre pessoas, por meio dos seus blogues e considerando o fluxo das ligações,  mostra, por exemplo, que a rede formada pela ‘lista de links’ não repete a rede de conversação pelos links de texto ou pelos comentários. Neste sentido, os diversos momentos destas redes podem auxiliar a compreender a dinâmica destas relações e as suas possibilidades para os sujeitos envolvidos. Podem, também,  alavancar estudos\propostas que visem facilitar, otimizar, promover a formação de algumas redes.

((apenas pensando alto, sem esquecer que todos estes suportes tecnologicos são históricos e configurados pelo contexto de sua época))

Tags: , , ,


nov 25 2009

Galeano e a América Latina

Categorias: blog,livrosSuzana Gutierrez @ 09:14

“Romper com o velho hábito da obediência. Em vez de obedecer à história, inventá-la. Ser capaz de imaginar o futuro e não simplesmente aceitá-lo. Para isso é preciso revoltar-se contra a horrenda herança imperial, romper com essa cultura de impotência que diz que você é incapaz de fazer, por isso tem que comprar feito, que diz que você é incapaz de mudar, que aquele que nasceu, como nasceu vai morrer. Porque dessa forma não temos nenhuma possibilidade de inventar a vida. A cultura da impotência te ensina a não vencer com sua própria cabeça, a não caminhar com suas próprias pernas e a não sentir com seu próprio coração. E penso que é imprescindível vencer isso para poder gerar uma nova realidade”. (Eduardo Galeano em Espelhos – Uma História Quase Universal)

Este e outros trechos do livro e os comentários de Pedro Alexandre Sanches, no seu blog . Gosto muito de Galeano e estes excertos me deram muita vontade de ler o livro. Ando num tempo onde os desejos estão condicionados pelas responsabilidades e os prazos, mas janeiro pode ser a brecha para esta leitura.

Procurando as referências ao DPádua, andei relendo algumas coisas aqui do blog, retroagindo para os idos de 2003, não só para constatar que o tempo passa rápido, mas, também,  para me entristecer um pouco com o que vamos deixando pelo caminho, perdendo até.  Como aquela despreocupação com foco de pesquisa,  relevâncias e leitores, característica do blogueiro iniciante. Nas entrelinhas e nas linhas mesmo das minhas narrativas informais as marcas do tempo histórico bem claras, prontas para serem colhidas.

Me dei conta que, de uma certa forma, eu estava tentando ser ‘relevante’ aqui. Como se a relevância fosse uma escolha ou uma decisão.  Como se o todo tivesse de vir antes e independente das partes 🙂 De agora em diante, prometo ser despreocupadamente irrelevante de novo.

)) sobre o livro

)) este achado veio por meio do Idelber, via Google Reader.

Tags: , ,


nov 21 2009

Adeus a Daniel Pádua, o artesão das redes

Categorias: blogosfera,gente,internet,redes sociaisSuzana Gutierrez @ 11:59

“Tecnologia é mato, o importantes são as pessoas” (dpadua)

dpadua

dpadua

A vida constantemente nos lembra de sua efemeridade e da complexidade dos seus  aparentemente simples caminhos. Quando alguém jovem e no movimento de seus projetos se vai,  fica aquela sensação de injustiça, de interrupção de uma trajetória necessária.

Uma coisa que me marcou muito ao ler Bakhtin foi a sua colocação da vida como narrativa que não é nossa. Narrativa que sempre vamos deixar inacabada e que compete ao outro, aquele outro que conosco divide este espaço e este tempo, colocar o ponto final. Desde ontem, nós (os outros!), de muitas e diferentes formas tentamos continuar a narrativa do Daniel.

Faço a minha parte contando que conviver com Daniel na rede é prova de que é possível realmente colaborar, interagir, fazer parte e, sobretudo, ser livre.  Desde 2003 , Daniel era parte das minhas ‘sinapses‘, a turma do MetaFora,  das diversas listas xemelentas que me ensinaram muito. E o dpadua sempre foi um dos mais criativos e antenados e, também, tanto quanto as nossas conexões possam refletir, sensível, utópico, romântico e … autodivertido.

Ontem, ele partiu para novas aventuras e deixou suas ideias, sua generosidade. Algumas delas eu pude salvar da extinção algum tempo atrás. Para alguma coisa serve a minha mania de guardar tudo, mesmo nas versões 1.1. Assim, guardei e pude restituir ao seu autor o Manifesto do Artesão das Redes. Fiquei feliz por isso, mesmo que eu pudesse discutir este manifesto por umas boas horas com ele 🙂 E é pra isso que servem as ideias, para fazer as coisas se moverem.

Mas, … como disse o Daniel:

Mexa essa bunda gorda e crie suas redes. Encontre os instrumentos alternativos e crie as táticas de que precisa.  Seja um camaleão tecnológico. Um ciborgue movido pela própria poesia

vamos?

* os arquivos da web ainda guardam os esporos

** a foto peguei da web, avatar do blogblogs

*** vale ler a nota de falecimento no site  Br-Linux.

**** E as manifestações das outras sinapses:

)) Sapo Crocante – Alfarrábio

Tags: , , ,


nov 20 2009

Dia da Consciência Negra

Categorias: cultura,movimentos sociais,mundoSuzana Gutierrez @ 11:46

Os dias disso ou daquilo geralmente encobrem o permanente esquecimendo disso e daquilo. Servem, quando muito, para dar aquele empurrão no pensamento para, quem sabe, fazê-lo pegar no tranco.  Hoje, interrompo o meu relativo desaparecimento da blogosfera para lembrar de um professor meu que se foi.  Este dia em especial é um bom dia para lembrar do Prof. Oliveira, que toda a vida lutou para que dias como este fossem todos os dias. (ou não)

Um privilégio ter sido sua aluna. Ele era um poeta, doce pessoa que se expressava assim:

ENCONTREI MINHAS ORIGENS

Encontrei minhas origens
em velhos arquivos
……. livros
encontrei
em malditos objetos
troncos e grilhetas
encontrei minhas origens
no leste
no mar em imundos tumbeiros
encontrei
em doces palavras
…… cantos
em furiosos tambores
……. ritos
encontrei minhas origens
na cor de minha pele
nos lanhos de minha alma
em mim
em minha gente escura
em meus heróis altivos
encontrei
encontrei-as enfim
me encontrei

Oliveira Silveira
Roteiro dos Tantãs

)) uma trajetória de luta, exemplo de vida.

Tags:


nov 13 2009

Os muros invisíveis

Categorias: mundo,políticaSuzana Gutierrez @ 12:01

Quem vive a história de seu tempo e não a dissocia de seu contexto e de seu devir é responsável por apontar aquilo que que não é óbvio, o que se esconde e o que é escondido. Quando algo  é mostrado, chamar a atenção para o que permanece na sombra como se não existisse.

Quando vi as celebrações do aniversário da queda do muro de Berlim, que este ano faria 48 anos e que morreu aos 28 anos,  não posso deixar de lembrar do muro que fará 48 anos no dia 7 de fevereiro de 2010. Um muro invisível mas nem por isso menos cruel: o embargo econômico, comercial e financeiro contra Cuba.  Um muro construído e reconstruído cotidianamente e que, como o outro,  tem sua história.

((só para registrar))

Tags: , , ,


nov 09 2009

Novo Orkut

Categorias: redes sociaisSuzana Gutierrez @ 12:11

Não vou me estender falando das novidades da nova interface, pois outros analisaram com mais detalhes:
)) Google finalmente apresenta o novo orkut; conheça algumas novidades
)) Análise da interface do novo orkut

Fiquei curiosa em observar como se daria a difusão dos convites. Na minha rede de contatos,  no dia 7/11, o panorama era o seguinte:

novo orkut

Não convidei ninguém e fiquei usando a interface antiga, pois na nova não é possível ver aquela marca de quem está convidado ou usando o novo orkut. Verifiquei a minha rede, separei os contatos com novo orkut e tracei as conexões entre eles. O resultado foi 3 porções da rede, mais ou menos clusterizadas e alguns contatos dispersos (considerando a rede de meus contatos).

Ainda não aprofundei nada em relação a estes dados e nem sei se terei tempo, pois foge ao que ando estudando. Achei interessante o fato que as redes mais ou menos repetem as proporções de contatos de cada tipo. E observei de forma casual que os meus contatos mais velhos (colegas professores e amigos) quase não receberam convites e que a efervescência no meio da gurizada é bem maior (óbvio).

Seria interessante uma nova rodada de verificação para ver a evolução dos convites. Vamos ver se consigo fazer isso ainda esta semana. No final de semana será impossível. pois vou trabalhar o tempo todo. Em todo caso, socializo aqui, pois deve ter alguém estudando isso.

update em 27 de novembro:

Uma correção: a primeira leva tem 40 novorkutados 🙂  Fiz uma recoleta de dados na quarta e garimpei mais 39. Redistribui considerando as minhas subredes. Ficou um panorama assim:

rede

Um crescimento mais acelerado no meio da rede maior e mais jovem e da rede do pessoal da comunicação e áreas afins ligadas a internet:

disseminação

disseminação

O povo da educação largou atrás e vai devagarinho 🙂  Claro que algumas destas categorias se sobrepõem e são mais numerosas originalmente. Estes dados originais não tenho de forma correta;  precisaria investir um tempo acertando a classificação dos contatos do Orkut. Não tenho como fazer isso agora.

Eu planejava, também,  uma nova rodada para o dia 15, para observar as tendências, mas não foi possível. Deixo aqui estes dados só para registrar a minha curiosidade.

… em construção RE

Tags: , ,


nov 01 2009

reflexões de pesquisa

Categorias: blog,doutorado,pesquisaSuzana Gutierrez @ 07:43

Depois de um tempo bastante conturbado em todos os setores, as coisas acalmaram.  Algumas mudanças no rumo da minha pesquisa me fizeram optar por um caminho mais longo e estou literalmente em busca do tempo. Ainda não estou aprofundando a análise de dados, mas ela não fica fora da coleta. Como que salta da tela a todo instante e me faz pensar.

Em 2002, a maioria dos serviços de blog não vinham com espaço para comentários e estes eram adicionados por meio de outros aplicativos. Logo em seguida, os comentários,  os links permanentes, o rss se tornaram funcionalidades padrão do blog e algumas outras novidades foram surgindo para, de modo geral, ampliar o alcance dos textos publicados. Uma colaboração da interface para a sequência da conversação.

Porém, o espaço ‘comentários’ ainda pode melhorar tornando padrão algumas possibilidades:

  • Aprimorar as possibilidades de responder a comentários, publicando a resposta, ao mesmo tempo, no comentário e no blog \email do autor do comentário. Isso já existe, mas pode melhorar.
  • Manter ligado este diálogo por meio de trackbacks automáticos.
  • Tracback\Pingback: ser padrão no caso dos links referidos em outros sites. Compensar isso com um “nofollow” acessível ao autor.
  • Registro de comentários feitos e seus desdobramentos, a critério do autor, ligados a interface do seu blog. Uma espécie de união de sites como cocomment com o aplicativo de blog.

Observei que os hábitos dos blogueiros ao responder ou não aos comentários são bem diferenciados e incluem:

  • Editar o comentário acrescentando a resposta.
  • Abrir um novo comentário.
  • Comentar no blog do autor do comentário. Neste caso, o diálogo tende a se restringir aos dois, dificultando o acesso de outros leitores. Além disso, a resposta dada no blog do autor do comentário fica fora do contexto do que está publicado lá naquele blog.
  • Responder apenas por email.

E mais:

  • Grande parte dos diálogos não passam da réplica, não avançam, mesmo quando existe provocação para avançar (já falei sobre isso). Isso pode ser creditado, em parte, a estrutura do blog.
  • Os leitores de rss ajudam a manter vivo o contato com diálogos nos comentários, mas poderiam dar um jeito de facilitar a interação.
  • Novidades como o Note in Reader, poderiam ser aperfeiçoadas no sentido de capturar partes de textos ou comentários com mais possibilidades de edição.

Todas estas coisas tem influência naquilo que é publicado. Meio e mensagem tendem a interagir dialeticamente sobredeterminando um ao outro.

Tags: , , ,