out 03 2009

Rio 2016

Categorias: Brasil,educação física,esporteSuzana Gutierrez @ 09:42

Rio 2016

Rio 2016

Só no final do meu treino de ontem, fiquei sabendo da vitória do Brasil na escolha da sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Não vi de perto (e nem de longe) as reações das pessoas e nada do processo que foi amplamente divulgado pelos meios de comunicação. Somente ontem à noite pude ver alguma coisa, já filtrada e mais ou menos repetitiva na televisão. Difícil não se emocionar ao ver as cenas da apresentação, a reação das pessoas, a promessa implícita de transformações que se insere em cada cena. Transformação e continuidade.

Agora seguem com mais vigor as reportagens, os debates, as defesas e os ataques e será possível viver esta experiência que, ao contrário dos arautos otimistas e pessimistas não tem futuro determinado. Eu gostei, com certa apreensão, mas gostei. Bah :) não tem como não reconhecer o desafio e a oportunidade e nem como deixar de conviver com o medo neste processo. Mas, nisso, começar a pensar no que fazer para estar realmente dentro deste compromisso assumido. Um compromisso que vai muito além da realização de uma enorme competição esportiva.

E preciso reconhecer, também, a participação generosa e decisiva de Lula que, apesar do bombardeio de classe da nossa midia, foi essencial nesta vitória do Brasil.

Não tenho dúvidas de que o Brasil pode arcar com a realização dos jogos. Mas quero saber a favor de quem e contra quem vai fazer isso, como disse paulo Freire… E espero que possamos aproveitar a oportunidade de realmente tornar o esporte (a educação física) parte da vida de todos, num de seus espaços mais essenciais – a escola. Este aqui é um ponto polêmico e que, uma hora destas, vou abordar por aqui. E, também, o desafio de viver o esporte além do lazer e da guerra,  como movimento social.

Nos vídeos muito de utopia, em especial neste, mas, também, a inevitável emoção. Principalmente para quem acredita que a utopia não é só necessária, mas fundamental.

Tags: , ,

2 Respostas para “Rio 2016”

  1. Jenny Horta says:

    Oi Su, também fico apreensiva em relação as licitações e “ilicitações” que rolam por nosso país. Só nos resta torcer para que o bom senso (acho que agora pode ser sem hífen…) prevaleça sobre os “podres poderes” nas consciências de nossos burocratas e governantes. Em relação ao esporte na escola, muita coisa ainda precisa mudar, né? Mas esse é um longo papo. O importante também é levantar a auto-estima do brasileiro e estimular o sonho olímpico, que traz consigo grandes valores em nossos jovens determinados (que são muitos, graças a Deus!)

  2. Nicolau Nei Gomes says:

    Mas o mais importante também é levantar a auto-estima do brasileiro e estimular o sonho olímpico, que traz consigo grandes valores em nossos jovens determinados em contribuir na construção de uma sociedade incluída, mas a grande mídia Brasileira Representante da Burguesia Raivosa não aceita uma mudança comportamental e quebra de paradigma.

Entre na conversa