nov 20 2008

Estudo demonstra que passar tempo online é bom para desenvolvimento dos jovens

Categorias: educação,internet,midias,pesquisa,redes sociaisSuzana Gutierrez @ 09:06

Um novo estudo da MacArthur Foundation, que pretende ser um dos mais completos sobre os hábitos dos adolescentes online, revela que o tempo que os adolescentes despendem conectados à internet, interagindo em redes sociais, navegando e jogando é importante para o desenvolvimento de qualidades que serão necessárias para viver e ter sucesso hoje e no futuro.

Misuko Ito, pesquisadora da Universidade da Califórnia, Irvine conta que os resultados da pesquisa podem surpreender os pais e derrubar alguns mitos. “Perder” tempo online não é perigoso e não cria preguiçosos e sedentários. Ao contrário, é essencial para que os jovens desenvolvam as habilidades técnicas e sociais necessárias para serem cidadãos competentes na era digital.

A notícia na MacArthur Foundation saiu na primeira página do New Yort Times: Teenager’ Internet Socializing Not a Bad Thing

A pesquisa, liderada por Mizuko Ito, Peter Lyman e Michael Carter, contou com mais de 28 pesquisadores. Durante 3 anos a equipe entrevistou 800 jovens e suas famílias e passou mais de 5000 horas observando adolescentes em sites como o MySpace, Youtube, Facebook.

Entre os achados de pesquisa: os ambientes online oferecem aos adolescentes excelentes oportunidades de desenvolvimento da sociabilidade, de participação na vida pública. Motivam a aprender com o outro e em rede. Por outro lado, os jovens precisam dar conta desta sua presença online e dos desafios de manejar a visibilidade, a identidade e as relações sociais no ciberespaço.

Mais detalhes: New Study Shows Time Spent Online Important for Teen Development e em digitallearning.macfound.org.

update:
relatório no site do Digital Youth Project
post da danah boyd
mais no Boing Boing

update 2:
ainda não li os relatórios de pesquisa.

Tags: , , , , , , , , ,

5 Respostas para “Estudo demonstra que passar tempo online é bom para desenvolvimento dos jovens”

  1. Anonymous says:

    http://news.aol.com/article/teen-
    commits-suicide-live-on-web
    /256594?icid=
    100214839x1213490684x1200901490

    Tive que quebrar o link para ele aparecer. Agora há pouco um jovem se
    suicidou em frente as camaras web da
    internet.
    Para se ver como é um “meio” seguro para
    crianças e jovens.

  2. Suzana Gutierrez says:

    Prezado anônimo

    Regularmente algum estudante entra na escola disparando alguma arma, matando colegas e professores antes de se suicidar.

    Para ver como a escola não é um ambiente seguro para os jovens…

    ((toda a generalização é complicada…))

  3. José Antonio Klaes Roig says:

    Oi, profª. Suzana. Que legal saber dessa nova façanha do aluno do colegio militar de Porto Alegre. Um grande destaque também, que comprova e reitera o valor dos educadores do RS.
    Respondendo sua pergunta em meu blog Letra Viva do Roig:
    “Eu atuo como multiplicador de informátiuca educativa, trabalhando em NTE (Rio Grande/18ªCRE), diretamente com professores da rede pública estadual, capacitando-os com o uso dos multimeios como ferramentas de aprimoramento do seu fazer pedagógico. Mas indiretamente, atuo com alunos, ou em parceria com professores do ensino fundamental e da educação especial da EEEF Barão de Cêrro Largo, onde funciona o NTE; ora também com outros professores da rede estadual, como parceiro de projetos e/ou atividades no NTE ou nas escolas.
    Fui seu aluno do Proa-UFRGS, e devo a Srª. (na oficina de criação de blogs), por ter-me tornado um blogueiro educacional, que sempre que pode faz oficinas com outros educadores sobre o uso de blogs na educação.
    Meu TCC de conclusão do Proa foi sobre a “Informática na Educação especial e os paradoxos tecnológico, pedagógico e social”, a partir de PA com 2ª turma DM da escola onde funciona o NTE, e está parte do projeto disponível no ambiente wiki (também aprendido na pós-UFRGS), endereço abaixo:
    http://janainaejose.pbwiki.com/
    Grato pela visita e comentário. Um abraço, Zé Roig.

  4. José Antonio Klaes Roig says:

    Ah, me esqueci de comentar sobre sua postagem, a respeito desse estudo que demonstra que passar tempo online é bom para o desenvolvimento dos jovens. Tenho, sempre que possível, discutido com alguns profs. de como Msn, orkut, blogs, chats, torpedos de celular e tudo que a maioria (por desconhecimento) torçe o nariz, pode ser um pequeno ambiente de educação, inclusive a distância, se utilizados como proposta pedagógica e não apenas encarados tais recursos como divertimento. No proj. de info na educ. especial. que coordenei de 2005 a 2007, certa vez, com alunos surdos e ouvintes integrados, quando a profª. parceira que conhecia Libras e desenvolvia projeto de uso da informática com alunos de 4ª série precisou se ausentar momentaneamente do Laboratório de Info, o “surdo” da história passou a ser eu, que desconhecia Libras, e quando muito fazia mímica (talvez, até macacada pelo riso dos alunos). Uma aluna ouvinte (egressa da classe especial DM), que tinha dificuldades pra cálculos matemáticos mas que aprendeu com incrivel facilidade a Libras, serviu-me de intérprete e depois fomos todos pro chat (experiência que até hoje me arrepia quando lembro), e graças a isso, pude conversar com alunos, justo via o “famigerado” chat, alguns desses jovens que eu apenas fazia sinais de “oi”, “tudo bem”. Uma delas, que eu, por desconhecimento, julgava mais comprometida do que aparentava (vinda de classe DM e surda), contou-me, via chat, que gostava de viajar, namorar, foi uma das experiências mais incríveis que tive com a tecnologia no meio educacional.
    Na questão do tempo, seja online ou tradicional, o que importa não é a quantidade mas a qualidade de sua utilização. Se me permitir, colocarei seu post no meu blog, divulgando esse estudo. Um abraço, Zé Roig.

Entre na conversa