nov 04 2008

a inserção das TIC no trabalho e na formação do professor

Categorias: ead,educação,trabalhoSuzana Gutierrez @ 16:09

Congresso encerrado e eu continuo pensando nos debates do forum.

Uma das questões que levantei com minha palestra foi a da contradição central que tensiona a inserção das TIC no trabalho dos professores: a tecnologia que vem para enriquecer e facilitar o trabalho do professor (e a aprendizagem de todos) acaba por intensificar o seu tempo e ritmo de trabalho.

Participar de foruns, ler e responder emails, ler\ comentar blogs, e outras atividades que envolvem as TIC vem, na maioria das vezes se somar as demais atividades que o professor já exerce e são realizadas, quase sempre, no seu ‘tempo livre’.

É por aí que penso que existem dois tipos, no mínimo, de resistência às TIC: a daqueles que simplesmente se recusam a pensar em modificar as suas práticas; a daqueles que mesmo reconhecendo as possibilidades das TIC não as aceitam na medida em que não são oferecidas as condições para seu uso, seja em espaço na carga horária ou remuneração, seja em formação.

Quando é bem provável a inclusão da EAD no ensino médio (São Paulo já está nessa), estas questões são importantes, bem como o surgimento e proliferação desta modalidade de professor de segunda categoria chamado “tutor”.

Como as questões acima estão apenas esboçadas, já antevejo algumas contestações. mas elas vêm bem, na medida em que movimentam o debate.

Tags: , , , ,

3 Respostas para “a inserção das TIC no trabalho e na formação do professor”

  1. teste says:

    Bom dia Suzana,

    Por favor, desenvolva a qualificação de Tutor como “professor de segunda categoria”.

    Confesso que, no mínimo, fiquei perturbada.

  2. Suzana Gutierrez says:

    OLá Teste

    Nem é necessário muito desenvolvimento na questão.

    Basta responder as seguintes perguntas: qual o contrato de trabalho que têm os tutores? quanto recebem os tutores? quantos alunos atendem em qual carga horária? quais as suas atribuições?

    Professores de segunda categoria, pois estes profissionais (muitos deles com ótima formação) são colocados nestas formas de sub emprego (como a maioria das tutorias é.

    abraços!

  3. Anonymous says:

    O custo do ensino é muito alto e de baixa qualidade. Claro que tem os “peixes”, os filhos de altos funcionarios publicos, de empresários, etc. que estudam em universidades públicas e tem todas as mordomias. Mas o homem comum, tem que tirar do bolso, pagar universidades carissimas e ainda ter um ensino péssimo.