out 26 2008

Turdus rufiventris

Categorias: rastrosSuzana Gutierrez @ 04:54

ou Sabiá. E, colegas da UFRGS, não precisam se assustar, pois não é o Sabiá do Prof Triviños. Não será necessário aplicar todas as categorias do materialismo dialético. Basta ficar olhando e admirar a paciência dela.

a sabiá

Depois de muito voar pelo meu quintal e, inclusive dar uma pesquisada dentro de casa, ela optou pela pequena varanda que tenho na saída para o pátio. Penso que é uma passarinha um tanto inexperiente, pois começava o ninho todos os dias em lugares diferentes da varanda. Mas, registre-se que todo o empenho, paciência e dedicação eram investidos em cada tentativa. E esforço físico, também, porque alguns galhos e palhas eram grandes e pesados o suficiente para atrapalhar o vôo.

O macho apareceu por uns dias (acho que era o macho), porém, como uma tese, o ninho foi obra de um só. O trabalho levou um mês contando os inícios, os retrocessos. No meio disso resolvi dar uma sugestão à Sabiá. Numa hora em que ela não estava, fixei um cesto pequeno numa das extremidades da varanda e coloquei dentro uma palhinha que ela deixara cair no chão.

Minha dúvida se o ninho ofertado seria aceito durou pouco: um ou dois dias depois as novas palhinhas e galhos já apareciam na borda do cesto e o chão abaixo se achava cheio de pequenas poças de barro.

Aí começou a semana dos jogos e eu perdi muito do processo. Ontem, primeiro dia depois dos jogos, fiquei em casa todo dia e não vi a Sabiá. Hoje cedo fui direto olhar, já pensando que ela havia abandonado o ninho. Mas, lá estava ela, desta vez sentadinha dentro.

Será que já pos os ovos?

fazendo o ninho

* as fotos são de duas semana atrás.

Tags: , ,

5 Respostas para “Turdus rufiventris”

  1. Anonymous says:

    O teu blog é bem desenhado. Você esta fazendo doutorado em educação. Não entendo por que você gasta teu tempo com divagações improdutivas. Não deveria ser ao contrário ?

  2. Suzana Gutierrez says:

    Prezada ou prezado anônimo. Não tenho nenhuma ambição de que as minhas divagações sejam produtivas.

    Aliás, que os deuses pequenos, grandes e muito pequenos me livrem disso.

    Mas, se vale a dica, escrever ajuda a pensar.

  3. Anonymous says:

    Imagine um cyber espaço com bilhões de Terabytes repetidos. Colocamos um compactador e não sobra muita coisa. Mesmo assim o fenomeno blog continua crescendo. Não acho na internet como se pinta uma parede, mas acho zilhões de informações que não levam a lugar nenhum.

  4. Suzana Gutierrez says:

    Pois é, anônimo (aposto que é O anônimo), os mecanismos de busca não são perfeitos. Idem os nossos “mecanismos” de “procura”.

    Mas, … se a coisa fosse quadradinha, filtrada, decantada, classificada demais, se perderia muita coisa. E pode ser justamente aquilo que não estávamos procurando :), mas que acaba sendo uma poderosa surpresa.

    Eu, pessoalmente, prefiro a tendência (a ordem da desordem) do que a ordem, a determinação.

  5. Conceição EJA says:

    “Sua” sabiá é dez! Quem dera ter eu uma. Estou torcendo pelos filhotes.