fev 29 2008

Edublogosfera

Categorias: comunicação,edublogosfera,educação,tecnologiaSuzana Gutierrez @ 16:46

No meu entender, uma lista de discussão é um recurso muito valioso para uma comunidade. Mesmo para as comunidades que se agrupam por meio da conversação dos blogs e das redes sociais.

Nem tudo é público ou publicável e, além disso, assim como os blogs socializam e ampliam o alcance do diálogo, a lista agiliza a articulação.

Pois foi no espírito de continuar formando a rede e de proporcionar múltiplos caminhos para esta conversa que flui nas infovias é que decidimos, a Lilian Starobinas, o Sérgio Lima e eu, lançar uma nova lista: a Edublogosfera.

A proposta é a de uma lista ágil e aberta, que se soma ao diálogo dos blogs. Não existe moderação e a temática da lista é ampla: educação e comunicação, na sua intersecção com a tecnologia e com todos os demais assuntos relacionados. A idéia é agilizar a distribuição das mensagens e evitar restringir a temática da lista à um grupo mais reduzido de assuntos.

Na mensagem de boas vindas, o convite à participação qjue complementa a minha chamada aqui no blog. Vamos lá?

[uma data marcante para nascer :)]

update em 1/3 >> ver também:

Edublogosfera – por Lilian Starobinas
Edublogosfera – por Sérgio Lima

1ª adesão: Simão Pedro Marinho

Tags: , , ,


fev 29 2008

29 de fevereiro

Categorias: rastrosSuzana Gutierrez @ 14:10

A cada ano nesta mesma época é tempo de matar ou morrer. Eu ainda não decidi o que morre e o que vive, mas estou tranqüila. Não gosto é quando me matam.

Mas é sempre bom fazer um backup.

Nos anos 5 eu era a coisa mais querida.
No início anos 6 me transformei na coisinha mais CDF, sem paciência com os coleguinhas que não liam enciclopédia.

No final dos anos 6 e nos anos 7 radicalizei, pero sin perder la ternura. Amava os Beatles e os Rolling Stones, achava tri aquelas intermináveis discussões sobre o último filme imperdível, carregava o Pasquim nas meias e lia Marx.

Quando deu para os 7, eu me perdi. De mim, dos outros e do mundo. Criei um mundo possivel e desapareci nele. A segurança da cerca óctupla.

Resolvi acordar na metade dos 9: se não estiver bom aqui sempre posso correr 15km para lá.
O fim do milênio pesou um pouco, mas ainda tentei uma saída: solidão.

Entrei em 2.0 de volta para a cerca óctupla. Em meio período, pois algumas partes de mim brilham por aí, desconcertantes. Os tempo tem sido lá e cá, calma e tempestade. Alinhei.

A cerca óctupla agora é portátil.
Mas ainda quero voltar a correr os 15km.

Tags:


fev 28 2008

levantou poeira!

Categorias: cmpa,fotografia,lugaresSuzana Gutierrez @ 12:29


levantou poeira!, originally uploaded by suzzinha.

O mormaço envolve tudo, morno, quase uma presença.
Fragmenta o tempo, quebrando sua corrente lenta, viscosa.
Não sei de onde, um sopro quente rodopia.

[Ontem, o vento brincava de esconder tudo na Redenção]

Tags: , , , , , ,


fev 26 2008

Reputação e Redes Sociais

Categorias: leiturasSuzana Gutierrez @ 13:06

Nós que seguimos a grande conversa que é a www, inseridos neste ou naquele ambiente, tecendo em torno de blogs, sites de redes sociais, email, … toda uma trama de ligações, sabemos bem a força de alguns destes laços.

Conhecemos, também, as diferenças entre os diversos nós na rede; o movimento que cada um imprime à suas conexões, o alcance de cada um. Sobretudo aprendemos a confiar e atribuir valor à alguns destes nós.

Na rede, atribuímos e construimos reputação.

Minha recomendação neste “Leia Mesmo” é a postagem da Raquel Recuero, Reputação e Redes Sociais, uma leitura muito interessante para tod@s que nas suas andanças compõem a rede.

Tags:


fev 23 2008

Mais links coletados por aí…

Categorias: educação,links,mapas,webSuzana Gutierrez @ 01:39

*não pensem que eu acordei a esta hora… este post é pré-datado. (mas tem fundos)
* update: uma pequena barbeiragem no domingo deu um furo para alguns leitores sobre este post 🙂

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,


fev 21 2008

Quem é o homem algorítmo?

Categorias: suzana gutierrezSuzana Gutierrez @ 16:19

O melhor da semana é que saiu na Carta Escola, da Carta Capital, um texto e um conjunto de atividades que eu e a Lilian Starobinas construímos juntas. O título é “Quem é o Homem Algorítmico” e vem logo depois do texto do Silvio Meira, Nasce o Homem Algorítmico. Infelizmente, esta produção sai só na revista impressa. Porém, estamos vendo um jeito de poder socializar o texto.

A coisa que mais me agradou neste trabalho foi realizá-lo junto com a Lilian. E tem gente que acha essencial o olho no olho para que alguma relação tenha realmente empatia. Fizemos tudo à distância, tudo construído cooperativamente mesmo. Uma experiência muito boa em todos os sentidos.

Começamos lançando todas as viagens possíveis e, depois, fomos juntando as nossas idéias e construindo um caminho comum. Muito interessante. Por ex:

O texto do Sílvio começa assim: “Pedro está colado no celular de Mano jogando alguma coisa cuja trilha sonora é de tirar o juízo de qualquer um que não tenha anos de meditação. De repente, pára e pede: “Mami, diga xis!” A mãe, no banco da frente, diz. Pedro retruca: “Olhando pra cá, né, mami?” Todo mundo ri. Pedro, 6 anos, e Mano, 10, estão explorando um dos 120 milhões de celulares existentes no País, muitos deles nas mãos dos “manos” de 10 anos.”
Para iniciar a nossa provocação, eu comecei sugerindo:

“Eram cinco horas da tarde quando Valdisnei pegou Tiaron e Uesli pela mão e foi rápido para a bica, que ficava dois barracos adiante do barraco onde ele mora com a mãe e os cinco irmãos e irmãs. Tinha de chegar rápido na bica para lavar os dois, antes que o pessoal da vila começasse a voltar para casa e a fila ficasse muito grande. Agora era todos os dias esta lavação, porque senão o pessoal da creche não recebia os dois e aí Valdisnei não podia ir para a escola. Deu banho nos dois e se lavou mais ou menos. Tinha vergonha de tirar a roupa ali na rua. Pegou a sacola com a roupa suja e puxou os dois pela mão na direção do boteco da esquina. Queria assistir um pouco de TV antes da mãe voltar. Em casa tinha TV, mas não tinha luz, porque os ‘gatos’ no poste mais perto da sua casa tinham estourado e deixado sem luz aquele pedaço da vila. Ficou por ali, olhando Malhação, enquanto Uesli e Tiaron se sujavam de novo brincando com um cachorro. A mãe ia demorar e era bom eles ficarem entretidos para não sentir fome. Valdisnei (que a professora chamava Valdisnei e que a mãe corrigia: o nome dele se diz Val Dísnei) se espichou para ver pela janela aquele mundo diferente que a novela mostrava.”

Mas mudamos: em vez das crianças, terminamos por colocar o professor no centro da conversa, num contraponto não tão contrastante, mas, que até por isso, mostra as contradições do viver digital.

Tags: , , ,


fev 21 2008

trabalho …

Categorias: cmpa,educação física,trabalhoSuzana Gutierrez @ 15:48

Hoje eu identifiquei o desassossego que me incomodou toda a semana: uma percepção mais ou menos clara de que não vou aguentar trabalhar mais 10 anos dando aulas no sol, na chuva, na poeira, no calor e no frio.

Por mais que eu goste, e eu gosto muito, tenho cansado muito. Mesmo com protetor solar, parece que eu passsei o dia na praia jogando frescobol. Estou cansada, com sono e, literalmente, frita.

Ou é o prazo de validade chegando no ponto crítico ou os resultados do semi-sedentarismo que estou desde o mestrado. To precisando de um recall.

/mode choradeira off

Tags: , ,


fev 19 2008

casas: a representante de uma época

Categorias: lugaresSuzana Gutierrez @ 06:47


Nossa casa em Xangrilá, já falecida, na sua primeira versão era parecida com esta.

Tags: , , ,


fev 19 2008

Prêmio Amigos Virtuais

Categorias: blogosferaSuzana Gutierrez @ 03:54

O Sérgio Lima me premiou como uma das suas (dos seus) amigas (amigos) virtuais e, é claro, eu fiquei contente porque é muito bom ser lembrada, ainda mais nestes termos:

A e amiga virtual de longa data! E, de certo modo, uma mentora. Ela deve ser a blogueira referência de muitos professores. Além da inteligência, dos textos cabeça, ainda tem aquele sotaque super-bonito das gaúchas! Amigona Virtual de carteirinha! Espero um dia poder fazer uma visita lá no Colégio Militar de Porto Alegre e, quem sabe, até jogar um basquete presencial!

E aí me enrascou passando a tarefa de seguir o meme premiando os meus amigos e amigas virtuais. Logo eu que não consigo seguir nenhuma receita na íntegra, e os memes geralmente o são. Para começar, vou trocar o Virtual (que eu entendo no sentido de contraponto ao Atual) por um termo menos controverso: online, ou seja, amigos com quem eu mais me comunico via internet.

E é aí que mora o perigo: eu me comunico, troco, papeio, trabalho, com muita gente, por muitos canais. Se me perguntarem com quem eu mais falo no skype: minha filha e minha sobrinha. Com quem eu mais converso no MSN (que eles usam, pois eu uso o SamePlace) são os meus alunos, principalmente os da equipe de basquete.

No Google Reader eu troco postagens preferidas com poucos amigos que compartilham suas leituras: Síntian, Sérgio Lima, Paulo Colacino, Felipe Fonseca, Miriam Salles. Marli Fiorentin, Lilian Starobinas, Paulo Slomp, Cristiane, Fátima Campilho, Lady A.

Com quem eu trabalho online? Além de seguir o trabalho da escola com os colegas, troco muito com colegas da Ufrgs e faço trabalhos com alguns colegas à distância: Lilian Starobinas, Iris Costa, Mara Silva.

Pelos blogs e outros meios, converso e troco idéias com outros pesquisadores: Raquel Recuero, Elisa Máximo, Lucídio Bianchetti, Lady A, Adriane Hallman, Ana Brambilla, Alex Primo, Lilian Starobinas, Iris Costa; com a turma ativista aqui do sul: Elenara, Claudia Cardoso; com os edublogueiros de todas as paragens; com sinapses blogueiras ou não: Marmota, Idelber Avelar, Júlio Borges, Bicarato, ….

Então, não vou destacar os dez mais, porque isso ia exigir uma pesquisa 🙂 Deixo a bola picando para todos os linkados ou não aí acima e para tod@s que conversam muito comigo e que não citei neste post.

Tags:


fev 18 2008

eu e os ratos…

Categorias: rastrosSuzana Gutierrez @ 18:01

rato!Freud deve explicar (mas eu nem quero saber a explicação) porque eu, que já tive um ratinho de estimação chamado Paul, hoje tenha tanto medo de ratos. E deve existir, também, alguma confluência astral que faça com que eles volta e meia apareçam na minha frente. E estas ocasiões não têm sido muito saudáveis para eles, diga-se.

Em 2004, no verão, eu passei dias tocaiando uma criatura que estava papando as minhas frutas. Esta história foi o hit da semana aqui no blog, até que eu descobri quem estava vindo para jantar.

No ano passado, um deles desceu do barranco na minha frente e, creiam ou não, eu acertei o infeliz com uma havaiana à três metros de distância. Depois, em pleno ataque histérico, terminei o serviço com uma vassourada. Bom, … foi a segunda vez na vida que eu matei um mamífero e a primeira que o rato não era meu.

Como vocês já podem imaginar, Paul foi a minha primeira vítima. E, antes que pensem que sou uma desalmada que matou o próprio mascote num acesso de raiva, saibam que foi sem querer. Na época tínhamos, eu e a minha irmã, dois ratos: Paul e a Kátia. Eles moravam numa casa bem grande de madeira, da qual fugiam roendo algum canto. Um dia, tentando pegar o Paul, eu acabei deixando cair a casa em cima dele. Estrebuchou na hora e eu levei meses para esquecer.

Pois, é… As coisas são cíclicas. Ontem a minha filha estava cozinhando um jantar para nós, quando deu de cara com ele. Gordo, o abusado estava tranquilamente roendo uma das nossas bananas, na mesma fruteira. Gritando, foi ela para um lado e o rato para o outro. E eu corri para acudir, achando que o tal frango ao curry verde tinha criado vida.

Aí começou a batalha: a criatura insolente estava embaixo do fogão. Fechamos todas as portas, menos a que dá para o pátio. Eu, empoleirada numa cadeira espirrei Baygon (este não é um link patrocinado) no fogão, no frago e nas bananas, com a vaga esperança que a criatura fosse alérgica. Não era, mas o frango assumiu um tom meio cinzento.

Conhecem arborismo? Pois, foi quase assim que eu cheguei nas vassouras. Aí, devidamente instalada no alto de uma cadeira, comecei a bater no fogão, na geladeira, no frango com curry verde cinza e em todas as coisas móveis e imóveis da cozinha.

Bingo! O rato saltou de trás do fogão e desabalou para a sala. Nova gritaria geral. Pior,… eu acho que fechei os olhos e aí não tive certeza se o rato saiu para a rua ou não. Resolvemos, então, pegar as vassouras, criar coragem e partir para o ou ele ou nós. Subimos nas cadeiras, arborizamos até a sala e, é claro, começamos a bater nos móveis. A sorte é que antes que destruíssemos alguma coisa, a praga saltou de debaixo de um sofá e saiu para a rua. Ufa!

Vitória! A porta foi fechada e o frango ao curry verde foi devidamente pranteado.

É, mas não terminou… Hoje pela manhã encontramos uma das bananas sobreviventes roída e concluímos que eles vêm pela janela da cozinha. Não me perguntem como sobem no telhado que tem abaixo da janela e escalam a parede. Certamente, vêm do prédio do lado, pois é o único caminho possível. Putz!

A batalha vai continuar… A banana está lá deitadinha na fruteira. O buraco roído entupido de um veneno cor de rosa que eu comprei pela tele-entrega. [Vamos estar entregando o organofosforado acetilcolinesterásico em 28 minutos ou a Senhooora não paga.]
O distribuidor me garantiu que é definitivamente letal. Eu estou virando uma serial killer 🙁

Tags: ,


fev 17 2008

Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento de Cidades

Categorias: porto alegre,rede,redes sociaisSuzana Gutierrez @ 07:19

Eu que acompanhei, com dificuldades, a Campus Party, que se encerra hoje em São Paulo, segui com mais dificuldades ainda a Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento de Cidades, que termina hoje em Porto Alegre.

Embora o evento seja bancado pelo governo federal, pela Prefeitura de Porto Alegre e por uma série de órgãos, instituições, empresas etc que (alguns deles) mobilizem a nossa mais alta desconfiança, a participação de ativistas, profissionais, estudiosos, pensadores, … de todas as partes do mundo tornou diversas mesas e debates muito interessantes.

Dentre estes, destaco:

David de Ugarte, economista não assumido, pensador da rede, autor de O Poder das Redes, que têm um pensamento muito original e que deve ser seguido de perto. No seu blog ele conta, com muitos vídeos (que ainda nã assisti), sobre a mesa que debateu a internet e o futuro.

Steven Johnson, jornalista, autor de 5 livros, entre ele Emergência e Cultura da Interface, recentemente incençado na quase finada Campus Party.

Um debate entre estes dois na mesa Internet é o Futuro da Comunidade, se houve, deve ter sido muito interessante. Porém, mesas com diversos palestrantes de peso (teve mais o filósofo Alexander Bard e o escritor Jan Söderqvist) costumam sacrificar a interação e o debate.

Gostaria, também, de saber mais sobre a mesa Cyberdemocracy Não Existe, com Suely Fragoso, entre outros. E sobre como se processou o tema Netocracia e Pluriarquia levado pelos suecos Alexander Bard e Jan Söderqvist.

A parte da blogosfera porto alegrense que eu leio ficou em silêncio.

Tags: , , , ,


fev 16 2008

Links para visitar

Categorias: imagem,linksSuzana Gutierrez @ 06:27

Fazia um bom tempo que eu não postava os links que apareceram na minha frente e que achei interessante guardar:

Tags: , , , , , , , , , ,


fev 15 2008

Novidades Google Reader e Blogger

Categorias: blog,recursos,RSSSuzana Gutierrez @ 19:25

O Google Reader agora admite a escolha do Português como linguagem. Mas apresenta a mesma limitação do Espanhol: não mostra os itens compartilhados pelos amigos. Isso deve ser resolvido em breve.

Blogger 1: Pelo Blogger Draft é possível adicionar um blogroll ao blogger. Use a opção adicionar elemento de página. Os endereços podem ser importados do Google Reader

Blogger 2: usando o Blogger Draft é possível postar para ser publicado em data posterior. Vou testar neste post 🙂

Agora são 00:13 de 16/02. Vou publicar em….. 00:25

Tags: , , , ,


fev 15 2008

começando a localizar a Campus Party

Categorias: eventosSuzana Gutierrez @ 15:50

sigam os links 🙂

Infelizmente há mais críticas do que elogios a se fazer ao evento. Desorganização, as proibições descabidas impostas aos participantes do evento, a presença excessiva e até um pouco ridícula de certas empresas, o foco excessivo na monetização de blogues e criação de empreendimentos de internet em detrimento do foco nas grupos e nas redes autonomas e espontâneas que fazem o coração da rede, … [Daniel Duende]

Dentro das atividades de inclusão digital da Campus Party, destaca-se o seminário Educação, Interatividade e Redes de Aprendizagem, da qual participaram Cezar Alvarez (assessor especial do Presidente da República e Coordenador dos programas de Inclusao digital do Governo Federal), Léa Fagundes (Presidente da Fundação Pensamento Digital) e Marcelo Branco (coordenador do Campus Party). Pra mim, foi o melhor da programação. [Jaciara]

Historicamente, a mídia tradicional (provedora de informação) se relaciona com o público através de um vidro imaginário, uma idefectível quarta parede que delimita quem deve produzir e fazer circular e quem deve apenas consumir conteúdos informativos e culturais. Dizem: chegue perto, sinta-se próximo, mas não tente entrar, porque o espaço é cercado por vidros e há controle na porta. Esse é o mundo daqueles que habitam a parte de dentro do aquário, a soldo de seus chefes – os proprietários dos meios de comunicação. [Rodrigo Savazoni, Observatório do Direito à Comunição]

No começo do mês recebi um convite para participar de uma mesa que discutiria jornalismo online X jornalismo tradicional. Para isso, seriam chamados jornalistas da velha guarda e o povo que trabalha com cultura digital. [..] Secretários não sabiam de nada. E-mails, nem pensar! E esse é um evento de pessoas “conectadas”?… ah, tá… [Ana Brambilla]

Durante todas as manhãs do Campus Party Brasil 2008, enquanto alguns ainda espantavam o sono, eu já trocava idéias a respeito desse universo com professores, coordenadores pedagógicos, diretores e profissionais de educação. Acho o vôo panorâmico importante porque navegamos melhor por esse mundo por meio de algumas referências-chaves. [Ana Carmen]

A blogosfera não está aí para “rivalizar” com a imprensa. Quem só leu a aba de “Long Tail” pode até pensar assim —mas a realidade é que o mainstream vai conviver com o conteúdo de nichos. Só fico mais aliviado quando penso que os blogueiros sérios não são galhofeiros com quem não merece. E estão mais preocupados em atender seus públicos. [Madu]

A young journalist, in search of news, expressed his astonishment when he asked me for an interview “What are you doing here? Do you have to be here?” When I dutifully explained, he couldn’t contain himself any longer and fired: “Do you think you are discriminated against?”, Jeez…I stared at him dumbly. “What do you mean?” He was in turn disconcerted…I mean…your age…you being a woman and a teacher…” [Barbara Dieu]

Historicamente, a mídia tradicional (provedora de informação) se relaciona com o público através de um vidro imaginário, uma idefectível quarta parede que delimita quem deve produzir e fazer circular e quem deve apenas consumir conteúdos informativos e culturais. Dizem: chegue perto, sinta-se próximo, mas não tente entrar, porque o espaço é cercado por vidros e há controle na porta. Esse é o mundo daqueles que habitam a parte de dentro do aquário, a soldo de seus chefes – os proprietários dos meios de comunicação. [José Murilo, MinC]

Eu sinceramente já não tenho o menor saco para entrar em polêmicas que não têm razão de ser. Creio piamente que a tendência, em um futuro a curto prazo, está na convergência de mídias. Do mesmo modo que veículos tradicionais como o New York Times e a revista Newsweek contrataram blogueiros como Markos Moulitsas e Brian Stelter, tenho a convicção de que o mesmo ocorrerá por aqui, da mesma maneira que jornalistas consagrados como Ricardo Noblat e Luis Nassif seguiram a via inversa e revitalizaram suas carreiras criando blogs de ótima qualidade. [Inagaki]

… em construção ……..

Tags: ,


fev 15 2008

Campus Party Brazil & Mobile WebTV Live Broadcast

Categorias: ciberculturaSuzana Gutierrez @ 15:21

a minha contribuição.

Gostaria de ter falado na BarCamp, mas fiquei sem notícias do que rolou. Aí escolhi este interessante projeto.

Ler no SmartMobs.

ps: meu inglês é meio torto, aceito correções.

Tags: ,


Próxima Página »