out 30 2005

Em Viña Del Mar

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 06:38


Viña Del Mar, postada por suzzinha.

Esta foto foi tirada hoje no final da manha e agora estou no hotel. Pode ser que hoje possa escrever um pouco. As coisas andam movimentadas por aqui, desde uma invasao de bombeiros no quarto atê um cafê continental que eu nao conhecia. 🙂


out 26 2005

rumo a Osorno

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 14:51

Malas por fazer, contas por pagar, prova da seleção para o doutorado feita.

Lá na UFRGS a sala cheia de gentes e de expectativas, adrenalina a mil e o meu gongo salvador preso na burocracia. A prova foi difícil para quem não estava familiarizado com a bibliografia da linha de pesquisa.

Saio amanhã à noite e o dia será cheio de trabalho e de coisas para correr atrás. Pelo menos vou sentar naquele ônibus sem preocupações intelectuais, salvo a apresentação de trabalho no congresso 🙂

  • Entradas Relacionadas


out 25 2005

o soar da última trombeta

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 13:05

ou quem sabe aquela expressão tão bem vinda: salva pelo gongo?

Pois é… A última trombeta está quase soando e o gongo nem aí…

Pelo jeito as muralhas de Jericó têm de ser vencidas na base do confronto direto 🙂 Mas é a vida…

weird mode on…

Technorati Tags:


out 20 2005

o retorno …

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 18:00

A carruagem estava me esperando pontualmente às 9h e 30min e … (não, não tinha príncipe e não é sonho tb) fui eu sacolejando para o ponto de saída do ônibus. Encontrei com a Marlene e com a Rosa e pudemos conversar um pouco sobre a reunião, os trabalhos e nossa avaliação do todo.

A viagem foi bem legal até São Paulo e chegamos ilesos no aeroporto que, para variar, estava um horror. Enfrentei a inelutável fila quilométrica, paguei excesso de bagagem (imaginem o peso da mala) por conta dos livros. Comi um sorvete milionário e me acomodei na sala de embarque para ler mais um pouco.

Uma sala de embarque era para ser um lugar tranquilo, mas aquele monte de gente que por quaalquer coisa forma filas (e filas nos lugares errados) deixa qualquer um atacado. Li mais ou menos, pensei mais ou menos. Cheguei em POA perto das 9h:30 e só eu sei como consegui bracear aquela mala escada acima.

Os cachorros estavam com saudades, os filhos mais ou menos. Todos muito interessados no conteúdo do monstro.


out 19 2005

quarta-feira, o dia dos livros e das despedidas

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 18:40

Hoje a programação vai ser mais leve. Os GTs funcionam pela manhã e, à tarde, rola avaliação para todo lado. Os mini-cursos terminam à noite, mas muita gente já está de saída. Como aquele pessoal que levanta no cinema, antes mesmo que as luzes acendam e comecem os letreiros, ou que entram em fila no avião quando este nem ainda parou no terminal.

Assisti um pouco do GT 9 e outro do 16 e me atirei os livros, catando os que já havia selecionado e outros. Vou voltar consideravelmente mais carregada e mais pobre… Resolvi, desde o início, ficar até o fim e retornar só amanhã, quando a grande debanda já houver terminado.
Voltei carregada para o hotel em tempo de me despedir da Lilian da USP. A nossa querida LiliBaú, que é colega da Ed Física já se foi na terça de noite, pois tinha aula hoje na UNESP. Aliás, adorei conhecer estas duas figuras, pois não nos conhecíamos antes. A Lilian da USP eu já conhecia virtualmente, da Cidade do Conhecimento onde tivemos contato em alguns projetos.

A noite foi meio solitária, mas pude mergulhar em alguns textos que selecionei e que vão me ajudar a preparar para a seleção. Descobri, também, que ficaram muitos colegas para ir no ônibus que sai amanhã às 10h para São Paulo. Meu vôo é as 18h:50 e eu espero que a viagem não atrase.

Technorati Tags: ,


out 18 2005

terça-feira, a minha vez

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 18:35


Cheguei cedo no GT para conferir o CD e os detalhes da apresentação. O meu trabalho seria o terceiro de uma manhã que teve 4 trabalhos muito semelhantes em certos aspectos e muito diferentes em outros. Vygotsky, Bakhtin e Paulo Freire quase baixaram na sessão de trabalhos…

Minha apresentação foi muito boa em relação ao que eu pensei que fosse ser. Meu treininho na noite anterior foi deprimente… Fiquei razoavelmente tranqüila e pude falar quase tudo que havia previsto. O trabalho foi muito bem recebido, muito mais do que eu esperava e trouxe muitas perguntas interessantes e contatos, inclusive umas possibilidades de publicação muito promissoras. Eu que já havia desistido da idéia de publicar a minha dissertação, voltei a pensar nisso.

Na realidade eu nunca pensei seriamente em publicar a dissertação, principalmente porque já estava com outros interessese e naão tinha vontade de rever e adequar todo o texto. Mas,… voltei a pensar nisso 🙂 Vamos ver no que vai dar.

O almoço foi super festivo, depois de uma revirada legal na feira de livros. Acredito que a mala vai voltar cheia…
Na parte da tarde, assisti a sessão especial do GT 9 sobre Diretrizes curriculares, Licenciatura e Formação de Professores. Estava um calor danado e muito abafado. Antes dos debates eu debandei. Dei uma olhada no GT 8 e depois comprei umas coisas para jantar no quarto. Quero estudar bastante hoje.

Já me livrei do ortopédico e estou dormindo melhor. As gurias descobriram que o segundo em comando aqui no Hotel tem o incompatível apelido de Lili e é uma confusão danada com as Lilians, quando o pessoal entra gritando e chamando. O coitado passa correndo 🙂 Mas quem mandou deixar pegar um apelido destes.

Technorati Tags: ,


out 17 2005

No GT Comunicação e Educação

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 18:29

Caxambu não obedeceu a previsão do weather channel para a semana. Viva!

Na segunda-feira, pulamos da cama cedo e eu organizei a bolsa ANPED para enfrentar o dia. Meu objetivo e a Lilian da USP me acompanhou, era o GT 16 – Educação e Comunicação, onde amanhã apresenterei trabalho. Vou assistir, também, alguns trabalhos no GT9 – Trabalho e Educação e, talvez, no GT de Formação de Professores.

O GT16 estava bem concorrido e a Profª Rosa Fisher, coordenadora, conduziu super bem a manhã de apresentações, reservando bastante tempo para perguntas e debate. Nesta manhã, o debate pegou fogo com este trabalho do Ademilson Soares da UFMG no qual, se por um lado, o autor exagerou, fazendo algumas generalizações (ainda não li, estou falando pela apresentação), por outro, acertou algumas flechas na mosca 🙂

O almoço foi num restaurante no artesanato, Panela Mineira (acho). Comida muuuuito boa. Aliás, o almoço com direito à um caneco de chopp fez a minha sessão da tarde se tornar um pouco sonolenta… As 16h mudei de GT e passei para om GT9.

De noite: estudar …. a quarta-feira está muito próxima e terça, mais ainda. Organizei a minha apresentação, dei uma estudada e fui dormir cedo e sem chopp.


out 16 2005

Rumo a Caxambu*

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 12:25


Rumo a Caxambu, postada por suzzinha.

Todas as pendengas resolvidas, os trapos e livros empacotados e lá fui eu cheia de sono carregando o monstro** pela coleira. Para não enfrentar a baldeação ou o que viesse em São Paulo sozinha, eu havia combinado com uma colega da UFRGS para irmos juntas no mesmo vôo. Ela também estava com um pouco de medo de se perder se tivéssemos de ir de ônibus de linha no restante do trajeto para Caxambu. O vôo para São Paulo saiu pontualmente às 8h:40 e a Graça e eu pudemos ver que não éramos as únicas neste vôo para ANPED. Professoras da área da educação vão ficando parecidas com a idade e é fácil identificar 🙂 A maioria, é claro… Eu, por conta dos abrigos e dos tenis fujo do padrão dos ‘terninhos e das écharpes”.

Em São Paulo, Congonhas, o ônibus especial estava nos esperando e saiu mais ou menos às 11h rumo à … Guarulhos … Lá começaram os problemas: ficamos circulando entre o terminal de desembarque e o estacionamento catando o pessoal que ia chegando em cada vôo. Terminou que havia mais gente que poltronas no ônibus. Houve uma nem tão rápida conferência para localizar clandestinos e a constatação de que o ônibus era menor do que o previsto. Acertar isso atrazou nossa saída para às 13h:30. Um atrazinho pequeno de 3 horas.

Fomos almoçar às 15h ainda em São Paulo. Resultado: a passagem pelos caracoles que levam à Caxambu foi um festival de gente passando mal. Mas chegamos bem, lá pelas 18h e a foto acima eu tirei da janela do ônibus com a câmera do telefone.

Na chegada tive de pegar uma charrete (os taxis de Caxambu tem orelhas) para não ter de arrastar o monstro por 4 quadras e uma ladeira. Realmente o novo hotel do Seu Chiquinho é novo , porém o espírito é uma reencarnação do antigo 🙂 Um cachorro deitado no tapete da porta e, para meu desespero um colchão ortopédico “ortocrin” na minha cama. Isso que quando reservei o quarto tentei me precaver dos ortopédicos. Porém, minhas colegas de quarto: as Lilians (de Bauru e de Sampa, da UNESP e da USP), gentilmente me guardaram a única cama de casal no quarto, da do ortopédico.
Bueno, o restante do romance foi o mesmo da última ANPED: seu Chiquinho disse: “é bem…, tem gente que não se adapta aos ortopédicos” e me trouxe uma coisa que mais parecia uma maria mole encapada para por em cima da caixa de madeira forrada com um dedo de espuma que eles chamam de colchão ortopédico. Resultado: um suplício a primeira noite.

As gurias morriam de rir da história do ortopédico e do meu ‘sobrecolchão’ tão mole que marcava cada contorno de qualquer coisa que se colocasse em cima dele, inclusive eu 🙁 – Como naqueles desenhos onde o Pica-pau bate numa parede e deixa o contorno dele carimbado, disse a Lilibaú (nome de guerra da nossa colega Lilian da UNESP, que descobrimos mais tarde).

Ainda antes de desmaiar de sono, fui até o Hotel Glória, sede do evento pegar o material e tomei uns choppes no calçadão de Caxambu. Achei a cidade um pouco mudada, mais pobre… Pulei a abertura da ANPED e a fala do Bernard Charlot… Odeio multidões.

* Estou postando estes relatos quase que na volta porque não fiquei com vontade de usar o cibercafé do evento e porque o meu celular parou de enviar emails.

** o monstro foi o apelido carinhoso que a minha mala recebeu na viagem para o Chile em 2003. Sem nada dentro ela já é muito pesada e sei lá quem pode saber porque eu não notei isso quando comprei. Resolvi levar ela quase vazia, pensando nos livros que iria comprar.


out 12 2005

em marcha lenta

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 10:25

Aqui no blog 🙂

Porque nos demais espaços a velocidade impera. Entre 10/10 e 10/11 apresento trabalhos em dois eventos e faço a prova da seleção para o doutorado na UFRGS.

Entre 16 e 20/10 estarei na 28ª Reunião da ANPED (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação), em Caxambu, MG, apresentando trabalho no GT Comunicação e Educação.

Entre 29/10e e 7/11 estarei apresentando una ponencia en el XIII Seminario Internacional sobre Formación de Profesores en el Conosur de América, na Universidad de Los Lagos, em Osorno, Chile.

Conclusão: não vou mais postar como gostaria e vou atrasar algumas leituras e pesquisas tb. O processo de minha passagem direta ao doutorado ainda não foi avaliado, logo, vou ter de fazer a seleção, pois não tenho a menor idéia de quando vem esta resposta.

Porém, … vou tentar blogar a viagem para não ficar um relato incompleto como da outra vez. Embora eu constantemente receba comentários sobre aquele relato 🙂

Já que estou com um restinho de tempo, a parte que Ramon menciona no comentário é:

O fato é que nem cheguei a esquentar a cama. A cambada alugou uma van para passearmos na cordilheira. Era pegar ou largar, pois só tinhamos segunda e terça para algum turismo. Na quarta, o Seminário começaria a ocupar os nossos dias. Passeio de turistas em modo precário é isso… passamos no supermercado para comprar comida. Tá… Tá, o programa era mesmo farofar nas estações de esqui. Quem, com salário de professor, teria o topete de pedir uma coca-cola lá?

Compramos, pan, vino, empanadas e… vino. O Chile está caro em relação aos nossos Reais, mas o vino… Cinco reais uma garrafa de Gato Negro, que em Porto Alegre custa quinze. Só alegria e fotos naquela van. Amazonino e Carmen filmando tudo, lá fomos nós caracolando montanha acima. Penso que foi no segundo caracol que nossa futura mamãe Sandra pediu pinico. Rosane, com toda a pompa e solenidade, hablando o seu spanish pós-sanduíche, ainda ensaiou:

“- Samir, quién sabe algún paradero…”

Samir, nosso motoguia, fez cara de paisagem. Eu, que já vomitei durante dois filhos, e estava vendo a cara verde da Sandra, atropelei:

– Para ali! – E apontei um cantinho ínfimo entre a estrada e o abismo. Foi a conta. Cargas ao mar e troca de lugares para facilitar alguma ação rápida, lá fomos nós no rumo de El Colorado y Farellones e do Valle Nevado.

– Hay solamente 32 caracoles – tranquilizou Samir.

O verde da Sandra aumentou um tom…

segue …

Tags: , , , , , , , ,


out 10 2005

adeus às armas

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 09:08

nós na redeou uma rápida explicação de um dos motivos (ou alguns) pelo qual eu vou votar SIM.

Armas geralmente são uma atalho. Um atalho que corta caminho pelo desentendimento, dando a volta no diálogo, evitando passar pelo afeto desembocando direto fora dos limites da nossa racionalidade e dos nossos melhores sentimentos.

Não bastasse isso, existe os que lucram e muito com as armas. Tanto que investem direto nas suas conseqüências. E neste investir cabe qualquer idéia, qualquer método, qualquer ação. Desde à guerra preventiva, até o financiamento de mercenários, no país dos outros, é claro.

Como se a política fosse que a minha política está acima de qualquer questionamento. Como se a violência não fosse uma questão de classe, antes de ser o que mais quisermos que ela seja.

Proibir a comercialização de armas e munições é uma ação concreta contra os que vivem e lucram com a morte. Contra a indústria da guerra, do medo e da falta de segurança. Não vai acabar com violência, porque a violência não vem apenas das armas e das paixões, vem em maior grau da barriga vazia e da falta de esperança. Porém, a proibição da comercialização de armas e munições vai dar um golpe duro na violência e suas conseqüências. Mais ainda se a fiscalização sobre as armas legais e ilegais for levada muito à sério.

Estou postando do trabalho e em condições precárias. Por isso,o resumo e o foco escolhido.Todavia,deixo com vocês os restantes Nós na Rede. Vale a pena viajar pela riqueza de argumentos e posturas.

Tags: , , , , , , , , ,


out 04 2005

NO NO NO’US

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 18:48


A banda No no no’us venceu o Rock Festival, realizado com quinze bandas de colégios de Porto Alegre, entre 12 Ago e 30 Set últimos. A Banda é formada por alunos do CMPA.
Parabéns Rafael, Cibele, Pedro e Costa!

[leia mais]


out 04 2005

Referendo sobre a comercialização de armas e munições

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 16:39

Nova postagem coletiva do grupo blogleft. Desta vez sobre o Estatuto do Desarmamento, mais precisamente sobre o referendo sobre a proibição da comercialização de armas de fogo e munições no Brasil. Como na postagem sobre o aborto se espera que as posições sobre o tema sejam variadas e estamos convidando todos os nossos leitores para que postem, também.

Queridos cinco leitores, vocês ouviram, neh?
Eu particularmente vou achar de muita utilidade posts esclarecedores que ultrapassem o fetichismo da campanha televisiva do SIM e a desonestidade da camapnha televisiva do NÃO. Já era para estar decorado que padrões Duda Mendonça e/ou diz qualquer coisa que depois a gente ajeita não são o que se espera, principalmente no contexto onde ocorre o referendo.

Portanto, tratos a bola e aqueçam os dedos para, no dia 10 de Outubro, postar, comentar e divulgar juntamente conosco, os Nós na Rede.

Technorati Tags: , , , , , , , , ,


out 01 2005

apesar do concreto

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 05:37