jun 10 2005

blogs, memória e história

Categorias: blog,blogosferaSuzana Gutierrez @ 10:24

Este blog apareceu no quadrinho de referências da semana do Inagaki (Pensar Enlouquece, Pense Nisso) e, no papo que travei com ele, fiquei sabendo do seu artigo sobre blogs para o Digestivo Cultural >> Blogo, logo existo. Claro que assim que o hospital, o helicoptero e o meu ante-projeto permitiram eu fui ler.

O artigo está muito bom, como tudo o que ele escreve. Consegue abranger num texto relativamente curto inúmeras possibilidades dos blogs, inclusive discutindo alguns exemplos. Neste sentido, contrasta violentamente com as superficialidades encontradas por aí como, por exemplo, aquele artigo da Veja, que tantos comentários gerou.

Deixei um comentário no Digestivo Cultural, onde chamo a atenção para um ponto específico da reportagem: a questão da efemeridade de posts e blogs. Isto, no meu entender tem um aspecto dual, dialético entre historicidade e efemeridade. Comentei lá:

Oi, Inagaki!
Parabéns pelo texto correto nas suas referências e muito bem escrito. Você conseguiu colocar todas as idéias importantes sobre os blogs e sobre os processos que eles possibilitam e fez isso de forma clara, relacionando inclusive aquilo que não é tão óbvio.

Eu acrescentaria à tua reflexão um outro olhar sobre a efemeridade dos posts na teia dinâmica do blog. Se, por um lado, são textos imediatos e logo caem no esquecimento, por outro e dialeticamente, os arquivos garantem a sua historicidade e a possibilidade de sua recuperação sobre novas bases. Eles possibilitam, também, o retorno do blogueiro à sua própria produção, promovendo a reflexão crítica, a re-interpretação de conceitos e práticas.

De repente, o presente linka o passado e altera o futuro. É a possibilidade de retomar o passado no sentido que Karel Kosík* afirma, quando diz que “a realidade humana não é apenas produção do novo, mas também reprodução (crítica e dialética) do passado”.

A memória de um blog não é só texto, é imagem também. É o registro de todas as metamorfoses e processos do autor, por meio da visualização das transformações na estrutura, nos textos, nas cores, nos acessórios, nos linksadicionados. Como mapas, estas imagens capturam e fixam por um momento a realidade objetiva que está sempre em movimento.

Não mostram o território em si, mostram as diferenças, os elementos que expressam a intervenção humana. Os arquivos de um blog mostram a flecha do tempo inscrita em cada mutação.
* A dialética do concreto – Karel Kosík (1976, p.150)

No todo, fiquei contente de saber que cresce a qualidade das reflexões sobre os blogs e as tecnologias à eles associadas, mostrando que a blogosfera brasileira está construindo seus referenciais no assunto. Recomendo muito ler e comentar o Blogo, logo existo.

Tags: , , , ,

Tags: , ,

2 Respostas para “blogs, memória e história”

  1. gutierrez/su » No dia da in (ter) dependência says:

    […] não é apenas produção do novo, mas também reprodução (crítica e dialética) do passado” (KOSÍK, 1976, […]

  2. gutierrez/su » Sobre blogar, feeds, trends, leitores de conteúdos, redes e outras histórias says:

    […] vez, em 2005, fiz um comentário à um texto do Inagaki no Digestivo Cultural e, depois, refleti sobre este comentário aqui no blog. Eu continuo acreditando no que disse. E, hoje, relendo, penso que ele cabe como uma luva se […]

Entre na conversa