mar 30 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 18:50

[profecias]

Possivelmente o Windows vá ficar mais fechado, mais exclusivo, complicado para quem não precisa da sua simplicidade cavalar e mais caro.
Billy profetiza que agora Hardware Will Be Free.

.na wired


mar 30 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 11:03

[interessante]

Livro de Lawrence Lessig: Free Culture: How big media uses technology and the law to lock down culture and control creativity (em pdf)
. THE PENGUIN PRESS, NEW YORK, 2004

Um trechinho:

At the time the Wright brothers invented the airplane, American
law held that a property owner presumptively owned not just the sur-face
of his land, but all the land below, down to the center of the earth,
and all the space above, to “an indefinite extent, upwards.”1 For many
years, scholars had puzzled about how best to interpret the idea that
rights in land ran to the heavens. Did that mean that you owned the
stars? Could you prosecute geese for their willful and regular trespass?
Then came airplanes, and for the first time, this principle of Amer-ican
law—deep within the foundations of our tradition, and acknowl-edged
by the most important legal thinkers of our past—mattered. If
my land reaches to the heavens, what happens when United flies over
my field? Do I have the right to banish it from my property? Am I allowed
to enter into an exclusive license with Delta Airlines? Could we
set up an auction to decide how much these rights are worth? (da introdução)

:: dica do pontomedia


mar 30 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 06:40

[por onde anda mesmo?]
Ontem, a Miriam me perguntou pelo final da história do ratão que estava vindo, noturnamente, para jantar. Bom, … ainda não terminou. Se ele tem aparecido, não tem conseguido entrar, pois tenho lacrado a casa assim que escurece. Contudo, não o vi mais. Ufa!
Ontem à noite, quem veio para jantar foi o Netsky.q, o virus da vez. Fiquei furiosa porque ele estragou meu record de cinco anos sem virus. E entrou aqui pelo modo mais tradicional: uma pessoa sem conhecimento, executou um anexo de email desconhecido e saiu correndo quando o anti-virus saltou, mas tarde demais. A pessoa só não foi incinerada porque, casualmente, sou mãe dela.
Fazia tempo que eu não entrava numa batalha contra um virus. Falta de tempo, porque até um tempo atrás eu gostava de instalá-los no computador velho e, depois, suar para tirar. Uma espécie de videogame mais educativo.
O Nestsky não é dos piores, mas, assim mesmo toma rápidas decisões assim que se instala. Trancou a conexão com a internet e deixou o computador alagado. Devia estar se reproduzindo.
Como fiz para tirar?
Primeiro, tentei localizar e deletar o arquivo que o AVP identificou. Necas, estava rodando e eu não conseguia finalizá-lo e nem deletá-lo. Fucei os registros e não achei nada estranho. Passei o AVP mas ele não conseguiu limpar: acesso negado.
Liguei o outro micro, entrei no site da panda, li tudo que havia sobre o virus e rebotei o computador contaminado. O virus rodou bonitinho e eu localizei o arquivo. Como? digitando crtl+alt+del e olhando o que estava rodando na caixinha. Desativei o danado e aí pude deletar. Isso liberou o acesso à internet, aí pude atualizar o AVP (havia atualizado dia 26). Só que ele já havia se reproduzido em outro processo. Desativei o segundo, e passei o AVP que killou o bandido.
Então veio aquela parte de arrumar o registro do ruindows, deletar os filhotes e pendurica-lhos que ele instala e repassar o antivirus. Penso que matei a praga. E refiz a promessa: depois do mestrado migro definitivamente para o Linux.
Pra quem ‘pegar’ a coisa:

Registro:
HKeyLocalMachine\Software\Microsoft\Windows\CurrentVersion\Run\Norton Antivirus AV = \FVProtect.*. Deletar esta chave.

Ele se copia para o diretório WINDOWS com este nome (poderá ser outro e é o processo que está rodando qdo se olha):

FVProtect.exe

Filhotes, no diretório WINDOWS:

userconfig9x.dll (26,624)
base64.tmp (UUEncoded do virus)
zip1.tmp (UUEncoded do arquivo zip do virus)
zip2.tmp (UUEncoded do arquivo zip do virus)
zip3.tmp (UUEncoded do arquivo zip do virus)
zipped.tmp (virus em arquivo zip)

Ainda prefiro os virus aos ratos…


mar 29 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 11:47

imagem de http://www.mle.ie/~rob/mindbalance/

[MIND BALANCE]
Pesquisadores irlandeses desenvolvem jogo controlado pelo pensamento. Criação do Laboratório de Mídia Europeu do MIT – Instituto de Tecnologia de Massachusetts, em Dublin, na Irlanda, o jogo é sem-fio, respondendo a comandos que emanam diretamente do cérebro do jogador.

Imagine a world where your brainwaves offer you another degree of freedom in a control system — and think of how useful that freedom would be for someone who can’t use a conventional controller like a mouse. We can’t lift starfighters with Jedi Mind Tricks just yet, but the MindGames group is taking strides in that direction through the non-invasive real-time analysis of human brainwaves. Mind Balance was the first application developed as part of an ambitious collaboration with researchers at University College Dublin to implement new brain-computer control interfaces. [link]


mar 28 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 16:43

[ciberpesquisa]
12 a 14 april 2004, Salvador, Bahia – organizado pela Facom/UFBa

Cyberurbe – a cidade na sociedade da informação: este é o tema do III Colóquio Internacional Redes e Cibercidades. Quem promove é o Grupo de Grupo de Pesquisa em
Cibercidades/Ciberpesquisa (CNPq). Serão três dias de discussão num programa que inclui:

:: Cidade-Cyborg. A cidade na cibercultura – por André Lemos

:: Smart mobs – por Julio Valentim

:: Redes wi-fi e cidade- por Rodrigo Nóbrega

:: informações, detalhes, parcerias: CyberUrb

  • Entradas Relacionadas


mar 28 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 11:15

[sharpereaderzando]

:: Mídia Alternativa
Descobriram a América! Obviamente, com algum atraso, já que a revolução não é e nunca foi televisionada. Assim sendo, os gringos precisam se apoiar em estudos, estatísticas, *dados concretos*. Leio na Carta Capital:
CRISE DA MÍDIA ABRE LUGAR PARA ALTERNATIVOS
Enquanto a tiragem dos jornais e revistas tradicionais cai, cresce o espaço do jornalismo on-line e “étnico”

Trata-se do mais ambicioso estudo […] (leia lá no Alfarrábio)


mar 28 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 10:40

[diversas sobre blogs]

:: profissão blogueiro

:: quando o spam vira diversão

:: blogs são o novo alvo do spam

:: agregadores combatem sobrecarga de informação

:: pesquisadores estudam contágio de idéias na web

:: burning man – ou aquilo que não pode ser publicado em weblogs

:: em busca de um império nos blogs

—> todas as acima são da wired-br

:: relações possíveis entre escrever um artigo para um weblog e para um jornal – por Jon Udell

:: novas maneiras de ler a web – sobre RSS, na CNN


mar 28 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 10:03

[blog do Chomski]
As publicações como os weblogs e wikis estão ganhando cada vez mais espaço e adesão. Suas possibilidades de instantaneidade, auto-publicação, agregação de conteúdo, interação, … vêm tensionando, cada vez mais, o padrão das publicações tradicionais. Agora, foi a vez de Noam Chomski colocar a sua voz na rede desta forma. Vale conferir o seu Turning The Tide

Achado no Pontomedia, via RSS

  • Entradas Relacionadas


mar 26 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 05:30

[enredada]
Foi o adjetivo da semana. Passei o tempo todo me atrapalhando entre o trabalho, o mestrado, o que tenho que ler e o que preciso escrever. Felizmente a minha guriasinha já está em casa e bem.
Faz dois dias que estou queimando os neurônios tentando ler com olhos quase isentos o que já escrevi da dissertação. Minha orientadora leu e puxou o tapete em algumas semi-certezas que eu tinha. Não no conteúdo, mas na ¬£¢$&* forma que, a bem da verdade, não são coisas separadas. Aiê! Estou aqui embaralhando e desembaralhando meus textos, trabalhando até o cérebro estalar (ou, pior, entalar).
Não dá para ser muito hipertextual em texto puro, ainda mais em texto acadêmico puro. Se bem que acadêmico não é uma expressão que pudesse ser usada, assim limpinha, para se referir ao que eu escrevo.
A narrativa do processo de uma investigação não pode estar desconectada da descrição/interpretação de algumas coisas que aparecem durante o relato. Porém, se um parêntese é feito, este não pode ser tão grande que quebre a unidade do relato, como um daqueles links que nos levam para longe e não nos trazem nunca mais ou notas de rodapé que ofuscam o texto.
Estou aqui pensando …


mar 23 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 09:08

[as redes]
Hoje foi o dia das redes, nas mais variadas circunstâncias. Desde os livros do Castels que estou relendo (é… eu consigo reler duas coisas ao mesmo tempo, hipertext style). Aí, me perdendo nos RSS, achei muita falação sobre redes:

.. Counter-terrorist forces (Mossad, CIA, DoD, etc.) routinely use assassination to disrupt terrorist networks. However, despite the apparent success of this approach (moral and propoganda), experience indicates that this technique is not very effective. Terrorist networks such as al Qaeda have proven to be extremely resiliant despite attempts at “decapitation.”
John Robb

.. The justification i’ve always given is that for people to have access to the technology to communicate (such as the internet) and the time to be concerned about non-local issues such as globalization, you have to have a fair degree of economic resources. This whole thing brings up one of the contradictions of indymedia, in that our mission is about making participatory media for the disenfranchised, yet most of the participants are not disenfranchised.
Anarchogeek

.. O terrorismo já se organizava em rede muito antes da internet. E rede é rede!!! Temos que nos ligar na organização emergente. Seja terrorismo, partidos políticos, camelôs ou malabares nos cruzamentos das grandes cidades.
Hernani

.. beduíno wifi
With the proliferation of “WiFi Hot Spots” and the mobile devices that access them, the public and private space surrounding us has become literally soaked through with Internet data. The promise of ubiquitous access to the Internet from anywhere, anytime is quickly being fulfilled.


mar 22 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 13:54

[blogs no Mato Grosso]
Josevânia, do NTE de Rondonópolis, planejando um curso sobre o uso educacional de weblogs, encontrou o [bloglab], leu o post sobre a inauguração do argumento, comentou e foi conferir.
Eu, lendo os comentários dos blogs pelo SharpReader (é… agora dá, com os comentários pela haloscan), li os comentários da Josevânia, tanto no [bloglab] quanto no argumento, respondi por email ao primeiro e, no comentário mesmo, ao segundo. Tudo isso acabou gerando o post anterior.
Josevânia me respondeu por email, enviando os links dos projetos dos multiplicadores do NTE.

blog pessoal

blog da 7ª série, iniciado por sua filha

e as notícias:

http://www.seduc.mt.gov.br/info_roo.htm

Na internet as coisas acontecem assim, sem barreiras para a docência, se nos colocarmos em posição para eliminar estas barreiras. Uma posição de cooperação, autonomia e de aprendizagem. Usando o que for posível usar em termos de tecnologia. Esta convergência entre blogs, comentários, rss, agregadores, email, trackback, faz com que todo este processo ganhe dinamismo e alcance.


mar 22 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 11:27

[retorno]
Não o eterno retorno, mas o desejado retorno. Recebi o primeiro retorno da primeira publicação no argumento. Uma correção na minha resenha do LYON publicada na categoria resenhas. E veio de longe, mais precisamente de Rondonópolis – MT. Mostra que a idéia do espaço de publicação ser mediado pelos leitores é promissora.
Fiz a correção optando por ‘riscar’ e corrigir para deixar à vista o movimento do texto. Penso que isso é importante, também.


mar 21 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 14:31

[argumento]
Consegui tocar bastante o ambiente da publicação argumento, feito com blogs ao estilo puxadinho. Abaixo um trecho do post inaugural:
Nós educadores, alunos e professores, construímos, ao longo das nossas práticas, textos, reflexões, apresentações, palestras, imagens, etc. – trabalhos de todos os tipos que, na maioria dos casos, ficam empoeirando numa pasta ou esquecidos num arquivo no computador. Saber isolado, inativo, morto.
Este blog é o ambiente geral do projeto que tem como objetivo resgatar e agregar toda esta produção.
Os participantes do TRAMSE – UFRGS realizam, todo o semestre e nas mais variadas disciplinas, reflexões, argumentações, sínteses, resenhas que contribuem pouco para a construção de conhecimento do grupo. Não porque não tenham valor, mas porque não tem visibilidade e acessibilidade.
Assim, dentro do Projeto ZAPT e vinculado ao sub-projeto [zaptlogs], estamos iniciando o desenvolvimento deste ambiente, que publicará a produção em Trabalho, Movimentos Sociais e Educação. (leia mais)

Para motivar o grupo, vou publicar uma das resenhas que fiz no ano passado.


mar 20 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 13:06

[zapt:novidades]
Andei explorando algumas ferramentas para blogs e já apliquei duas no [zaptlogs]. A primeira é Rollup, um agregador de feeds RSS, que captura e publica posts de vários blogs. Usando estas possibilidades criei o [zapt:metablog], um blog dos blogs do [zaptlogs].
A segunda ferramenta é o Feedroll, também baseada em sites rssficados, que cria, à partir da url/rss, um script que pode ser adicionado à qualquer site. Este script pode disponibilizar no site notícias ou conteúdo de outros sites/blogs ou, ainda, fazer o que fiz no [zapt:sumário].
Agregando conteúdo agregado, cada vez mais, pode-se filtrar informação.


mar 20 2004

Categorias: sem categoriaSuzana Gutierrez @ 05:55

[advinhem quem vem para jantar?]
Depois de dias de tocaia, usando táticas que fariam inveja ao exército, consegui descobrir quem vem para jantar as minhas frutas.
No início da semana, pensando ainda se a coisa voava, rastejava ou corria, fiz um tapetinho de farinha na prateleira de cima da fruteira e instalei uma manga bem no centro. As pegadas dariam uma boa idéia do monstro.
Não funcionou. L
Nenhuma pegada e a manga intacta. Aí pensei que, fosse quem fosse, havia desistido. Aliás, isso era mais uma esperança meio histérica do que uma certeza razoável.
Relaxei até que a coisa voltou. Atacou uma penca de bananas durante a noite. E, na noite seguinte, uma banana foi devorada quase que sob as nossas vistas.
Desde aí, mantive o apartamento lacrado depois que começa a escurecer. Naquela noite, havia duas saídas abertas: a janela da cozinha e a porta da sala que dá para o pátio. Isso e a ausência de pegadas, me deu quase certeza que o inimigo vinha de fora.
Pois é … foram dois dias de cachorros fazendo xixi dentro de casa, eu pisando no xixi e me despencando no chão e outras indignidades.
Ontem, estava na salinha vendo as notícias na TV, quando um vulto se esgueirou pela janela, que estava fechada, é claro. Pé por pé fui espiar o intruso que estava paradinho no parapeito da janela… Bueno, lá estava a criatura: cinza, olhinhos brilhantes, uns quinze cm de comprimento, fora o rabo. Gordo, o sacana!
Só não tive o tradicional ataque porque tinha certeza de que ele não poderia entrar. Não sou muito fresca, mas com ratos não consigo me controlar. Deve ser alguma coisa genética que afeta a maioria das mulheres.
Agora tenho que decidir o que fazer. Meus instintos ecológicos, anti-violência, pacifistas e etc me dizem para viver e deixar viver, mas meus gens me motivam a correr para o Seguézio e comprar depressa todo armamento disponível, até artefatos privativos das forças armadas, se for possível.
Por hora resolvi martirizar a Liria. Decretei uma faxina no pátio de não deixar pedra sob pedra. Portas fechadas, claro. Só ela, a vassoura e o que aparecer. Ontem, quando retornei, ela já tinha ido embora. Espero que ela volte na segunda K


Próxima Página »